Amsterdã

Todas em Amsterdã

‹ Anterior

de 2

  1. Alkmaar

    Depois de passar a manhã na Feira de Queijos, é provável que esteja faminto. Almoce ou monte seus próprios sanduíches de gouda e boerenkaas (queijo caseiro) na Kaashuis Tromp. Passe o restante da tarde em um ou dois museus: o Museu Stedelijk possui um impressionante acervo dos mestres holandeses; já o Museu Nacional da cerveja vai agradar os amantes dessa bebida. Depois dessa visita, por que não tomar uma gelada (que vai muito bem com queijo) em um descontraído terraço?

  2. Backstage Hotel

    Está aí um Backstage onde queremos nos esbaldar. Esse hotel temático leva a música a sério e é muito frequentado por músicos que tocam em lugares próximos, como a Melweg e a Paradiso – a mesa de sinuca e o piano do bar estão cheios de autógrafos. Cartazes de shows (muitos também autografados) enchem os corredores, e os quartos têm decoração retrô em preto e branco, com docks para iPod e bumbos de bateria fazendo as vezes de lustre. No fim de noite, as bandas (e seus fãs) batem ponto no animado bar. 

  3. Chicago Social Club e Boom Chicago

    Em 2011, o Boom Chicago deu um passo para se tornar a santíssima trindade da diversão na Leidseplein (ok, falta um cofeeshop); ele é um clube de comédia, um bar de fim de noite e uma casa noturna. Some-se a isso o fato de poder jantar ou tomar um drinque enquanto assiste ao melhor espetáculo de improviso cômico em inglês de Amsterdã – e então você pode incluir “teatro-restaurante” á lista. O que será que esse pessoal divertido e polivalente não faz direito?

  4. Cocomama

    Em vez de esconder seu passado vulgar (um bordel de luxo funcionou no imóvel), o primeiro hostel-butique de Amsterdã se aproveita disso com muito bom humor – como num dos dormitórios com beliches, decorado com cortinas vermelhas e imagens pornôs dos anos 1970, ou no “altar de bordel” da recepção. Nós adoramos o lindo jardim na parte de trás com mesa de piquenique, a cozinha bem equipada, a biblioteca e a sala para ver filmes à noite. Os quartos privativos (confira o de temática monárquica) são equipados com docks para iPod e TVs de tela plana.

  5. Collector

    Esse B&B é um achado. O prédio de 1914 está impecável, depois de algumas reformas, e foi mobiliado com peças de museu – relógios, tamancos, patins de gelo e copinhos de vidro, coisas que o proprietário, Karel, coleciona. São três quartos, todos com TV e acesso à varanda. Karel deixa tudo à mão para que os hóspedes preparem o café da manhã á vontade (os ovos são das galinhas no quintal), e a cozinha está aberta o dia todo, se quiser preparar seu almoço ou jantar. Ele também empresta suas duas bicicletas aos hóspedes.

     

     

     

  6. Dampkring

    Cenário de Doze homens e outro segredo e várias vezes ganhador da Cannabis Cup esse coffeshop é escuro, jovial e tem uma decoração que parece feita para hobbits. Seu nome alude ao anel na atmosfera terrestre em que pequenos objetos entram em combustão. Também é conhecido por ter o cardápio mais abrangente da cidade, com detalhes sobre aromas, sabores e efeitos.

     

     

  7. De Pieper

    Considerado por alguns clientes como o rei dos cafés marrons, o de Pieper é pequeno, despretensioso e inconfundivelmente antigo (1665). O interior ostenta vitrais, areia nos pisos, velhas canecas de Delft penduradas no bar e uma chopeira belga de 1875 em pleno funcionamento. É um lugar simpático para tomar uma Wieckse Witte no fim de noite e aproveitar a deliciosa claustrofobia que o teto baixo desse bar proporciona (afinal, as pessoas eram mais baixas no século 17 – inclusive os altíssimos holandeses).

     

  8. Explorar o Volderlpark

    Nova York tem o Central Park. Londres tem o Hyde Park. Mas nada no mundo se compara ao abundante idílio urbano do Voldelpark, onde turistas, namorados, ciclistas, mochileiros, crianças, adolescentes e festeiros encontram espaço para se divertir. Ele é tão vital para Amsterdã quanto Rembrandt, os canais e os cofeeshops, e em dias ensolarados não há lugar melhor para estar. Nos fins de semana de calor, um clima de festa ao ar livre se instala: alguns relaxam lendo um livro, outros encontram os amigos para fumar um baseado ou tomar uma cerveja, e outros fazem rodinhas para cantar em torno de maltratados violões. Em suma, é pura magia. Durante um passeio a esmo pelo Voldelpark, você passará por vários detalhes do parque e seu entorno, incluindo um perfumado roseiral, uma mansão mourisca e tesouros escondidos da arquitetura art nouveau.

  9. Female & Partners

    Tudo o que você precisa para libertar a dominatrix que existe em você... ou a que lhe espera em casa. A Female & Partners está cheia de roupas, lingeries, artigos de couro e brinquedos para mulheres e para quem os adora.      

  10. Friday Night Skate

    Toda sexta-feira desde 1997 (a não ser em períodos de muita chuva ou neve), "patinadores" se reúnem no Vondelpark para percorrer um caminho de 20km (2 horas) de patins por Amsterdã. Qualquer um pode se juntar à turma, contanto que tenha algum tipo de experiência prévia com patins (saber brecar é essencial!). Chegue ao ponto de encontro, ao lado do Vondelparkpaviljoen, às 20h (20h15 no inverno).  

    Acesse o site para mais detalhes sobre aluguel de patins e roupas apropriadas. 



     

  11. Jordaan

    Hoje elitizado, o Jordaan foi um bairro operário no começo do século 17, e essa história permanece visível. Esse lugar de características esquerdistas e onde se pode beber à vontade (não se dá um passo sem topar com um bruin café – café marrom, os tradicionais pubs holandeses) ganhou hoje um verniz revitalizado e atento à moda (suas ruelas são salpicadas de brechós e excêntricas galerias)

    A área não tem muitas atrações tradicionais, mas isso não imposta. A graça do Jordaan é deixar o tempo correr, vagando pelos becos sem se afligir quando notar que se perdeu.

  12. La Falote

    Com suas toalhas xadrezes, o pequeno La Falote tem pratos de estilo caseiro holandês, como o fígado de novilho, almôndegas com endívias, cozido de peixe com beterraba e molho de mostarda. Os preços são uma pechincha num bairro tão sofisticado. Espere o dono chegar com o acordeão.

  13. Latei

    A juventude local entope o descolado Latei, onde se pode comprar as luminárias vistas na parede (ou os candelabros antigos, as mesas ou qualquer item do mobiliário – está tudo a venda). O cardápio para o jantar de quinta a sábado é étnico (geralmente etíope ou indiano). No restante do tempo, serve sanduíches, tortas de maçã e koffie verkeerd (café com leite).

  14. Leiden

    Essa vibrante cidade universitária fica a 45 km a sudoeste de Amsterdã. Ao se dirigir para o sul, a partir da Centraal Station, o caráter tradicional da cidade se revela. Uma caminhada de cinco minutos leva até os históricos rios e canais de Leiden, dos quais os mais notáveis são o Oude Rijn e o Nieuwe Rijn. Explore-os e observe as casas tipicamente holandesas nas margens.

    Os 20 mil estudantes de Leiden formam uma parcela importante da cidade, o que dá a ela um clima juvenil e dinâmico, e isso é fácil de notar nos bares e cafés locais. Passeie ao redor da mais antiga universidade da Holanda e veja o primeiro jardim botânico europeu, pare em um café e aproveite o burburinho cultural.

    Leiden é conhecida como Museumstad (Cidade-Museu), pois possui 14 museus. Organize o tempo para visitar pelo menos alguns.

  15. Museu Van Gogh

    O Museu Van Gogh é o líder das atrações de Amsterdã. Aberto em 1973 para abrigara coleção de Theo, irmão mais novo do artista, abriga 200 telas e 500 desenhos de Vincent e de seus contemporâneos, como Gauguin, Monet, Toulouse-Lautrec e Bernard. Por meio das pinturas de Van Gogh, o museu narra a jornada do artista a partir da Holanda, onde sua obra era escura e sombria, até a França, onde, sob influência impressionista, ele descobriu as cores vivas. Prepare-se para todos os girassóis e redemoinhos que aguentar. Não perca Os comedores de batata, A casa amarela, O quarto em Arles, Campo de trigo com corvos, Girassóis, além de exposições especiais.