EuropaDicas e artigos

O Melhor da Europa 2019

Lonely Planet

Em busca dos melhores lugares para se visitar este ano, os especialistas da Lonely Planet exploraram litorais remotos, cidades agitadas e regiões pouco conhecidas da Europa.

De florestas frequentadas por ursos a cidades cercadas de vinícolas, escolhemos dez destinos que estão em alta no momento – uma mistura de clássicos revigorados e maravilhas inexploradas prontos para ganhar os holofotes em 2019.

Tudo o que você tem que fazer é decidir por onde começar.

 

1. Montanhas Tatras, Eslováquia

Há algo de mítico na paisagem das montanhas Tatras, na Eslováquia, um extenso reino de picos sinuosos e cachoeiras impetuosas onde a neve cobre o chão e animais ferozes guardam as florestas. Erradicados da maior parte da Europa, os ursos pardos vivem felizes nessa região selvagem e acidentada. Então, dar de cara com um deles é mais fácil do que você imagina – cada vez mais, agências organizam passeios a pé, em que os aventureiros podem espiar esses animais ao atravessarem bosques onde linces, lobos e a cabra dos Tatra também perambulam.

Além da observação de vida selvagem, ainda há muito para manter os viajantes ocupados. Com trilhas até o cume do pico mais alto da Eslováquia – o Gerlach, com seus 2.655m de altura (também conhecido como Gerlachovský Štít), passeios de barco no lago glacial Štrbské Pleso e a hospitalidade tradicional das chaty (cabanas) das montanhas, você pode nunca mais querer sair de lá.


Ursos pardos europeus vivem felizes na paisagem acidentada das montanhas Tatras, na Eslováquia. © vencavolrab / Getty Images

 

2. Madri, Espanha

Madri conseguiu transformar o tombo que levou durante a crise econômica espanhola em uma espécie de cha-cha-chá, levantando-se com vigor renovado. A vida noturna da cidade, sempre uma das melhores na Europa, segue melhorando – a Calle de Ponzano, uma área com restaurantes de tapas onde é possível saborear comidinhas e drinques minimalistas com sua própria hashtag, é hoje uma das ruas mais descoladas do continente.

Mas não é só quem aprecia a vida noturna que notará essas mudanças. O discurso de sustentabilidade ganhou força, levando a uma “pedestrização” em larga escala, à criação de ciclovias e à elaboração de sistemas para aluguel de bicicletas, além da construção de calçadas mais largas e implementação de novos controles de emissão de gás carbono. Isso tudo está transformando o local. Até mesmo o histórico Museo del Prado recebeu uma nova injeção de vida graças a um novo conjunto de exposições especiais – de exibições de obras menos conhecidas a performances – que acontece como parte das comemorações do seu bicentenário, em 2019.


O renomado Museo del Padro celebra seu bicentenário em 2019 © Rodrigo Garrido / Shutterstock

 

3. Rota da Costa Ártica, Islândia

Apesar de encabeçar a lista de destinos desejados por viajantes há mais de uma década, a Islândia tem mais uma carta na manga. Dentre os milhões de pessoas que visitam o país todo ano, a maioria se concentra em conhecer Reykjavík e o famoso Círculo Dourado. Algumas almas intrépidas seguem para o oeste, ou até mesmo para o distante leste, mas pouquíssimas rumam para o norte – pelo menos até agora.

Cobrindo 800km – de Hvammstangi, a oeste, a Bakkafjörður, a leste –, a recém-fundada Rota da Costa Ártica serpenteia entre 21 vilas e quatro ilhas no primitivo litoral norte da Islândia. Ela impressiona com suas maravilhas naturais pelas quais esse país é merecidamente famoso – estrondosas cataratas, geleiras colossais, fumarolas fumegantes – e com infinitas oportunidades para prática de esportes de inverno, observação de vida selvagem e aventuras na natureza. Em resumo, é o melhor da Islândia, mas sem tanta gente.


A rota da Costa Ártica é a nova febre turística da Islândia. / © WanRu Chen / Getty Images

 

4. Herzegovina, Bósnia e Herzegovina

Provavelmente, sempre que Herzegovina – região histórica que a parceira Bósnia abraça geograficamente – é mencionada, você pensa na magnífica ponte Stari Most, na cidade de Mostar. No entanto, é quase certo que não passe pela sua cabeça a enorme quantidade de pessoas que, todo verão, vão até lá em busca de uma foto perfeita da impressionante estrutura de pedra.

Em 2019, amplie suas opções e foque outros destaques da Herzegovina, viajando pela rota de ciclismo CIRO – uma antiga linha de trem austro-húngara que costura o interior do país, de Mostar a Dubrovnik, ligando algumas das maiores atrações da região. Hospede-se em um ambiente que remeta às antigas estações de trem ao longo do caminho e aproveite para estacionar a bicicleta, explorando a região mais a fundo. Caminhe pelas ruas medievais de Počitelj, explore os túneis de Vjetrenica ou faça trilhas até Lukomir, uma tradicional vila nas montanhas – todos esses passeios são ótimas chances de ganhar uma nova perspectiva dessa região tão fotogênica.


Aventure-se para além de Mostar e descubra outros destaques da Herzegovina. © Anna Gorin / Getty Images

 

5. Bari, Itália

Não é exatamente um retorno, mas Bari – que há muito tempo serve como porta de entrada de turistas procurando os grandes atrativos da região de Puglia, mais ao sul – parece renovada. A antes decadente cidade portuária no calcanhar da Itália está passando por um renascimento que é fruto de mais de uma década de mudanças.

O revitalizado centro histórico dita o tom do ambiente, enquanto fachadas de lojas antigas foram substituídas por restaurantes familiares, onde senhoras servem pratos de orecchiette em belas piazzas. Mas as mudanças na região vão além da estética: espaços culturais estão reabrindo, desde o ornamentado Teatro Piccinni até os antes condenados hotéis históricos (como o Oriente); isso sem falar no Teatro Margherita, uma antiga casa de espetáculos em estilo art noveau, que foi reformada e transformada em um impressionante centro de artes de frente para o mar. Com uma vida noturna revigorada (é possível comprar drinques em uma antiga bilheteria, que tal?), ruas mais seguras e praias mais limpas, Bari vem com tudo.


O reinaugurado Teatro Margherita é um dos pontos centrais da revitalização de Bari. © Dimitar Chobanov / Alamy Stock Photo

 

6. Shetland, Escócia

Poucos viajantes visitam a região mais ao norte do Reino Unido, as Ilhas Shetland, a cerca de 170km de distância da costa da Escócia. A posição desse arquivo faz com que sejam castigadas pelo vento do mar do Norte, dificultando, assim, o acesso a elas. No entanto, o esforço dos aventureiros mais valentes é recompensado por incríveis trilhas litorâneas, uma abundante vida selvagem e restaurantes famosos por seu fish and chips, além de uma ou duas boas doses de uísque, cortesia dos orgulhosos e simpáticos locais.

É preciso se esforçar para visitar Shetland, já que pegar a balsa noturna que sai de Aberdeen é, em si, uma aventura. Mas, uma vez lá, a vida desacelera de modo maravilhoso: de penhascos íngremes, observe lontras e orcas e, então, comece sua noite em um dos pubs locais de Lerwick – ou em Up Helly Aa, festival de inspiração viking que incendeia a região todo ano em janeiro.


A paisagem de Shetland é tão impressionante que é preciso ver para acreditar. © Peter Burnett / Getty Images

 

7. Lyon, França

Há muito tempo ofuscada pela capital ao norte, Lyon pode não ter a mesma fama (ou multidão) de Paris, mas compartilha com a Cidade Luz algumas das suas melhores características: é linda, graças aos dois rios que a cortam (o Reno e o Saône); é obcecada por comida (os bistrôs, padarias e açougues da cidade são lendários); e é culta (a miscelânea de museus vai do des Confluences ao Gadagne).

Mas em julho de 2019, Lyon entrará definitivamente nos holofotes globais – essa cidade é, afinal, o lugar onde o cinema francês nasceu –, ao receber a final da Copa do Mundo de Futebol Feminino. Combine esse grande evento com o recente reconhecimento da União Europeia pelos esforços de Lyon em tornar o turismo acessível e sustentável, e o palco está montado para que uma nova cidade francesa vire a queridinha dos visitantes internacionais.


Em 2019, Lyon ganhará os holofotes do mundo todo. © kavalenkava / Shutterstock

 

8. Liechtenstein

Que tal conhecer um país inteiro em um fim de semana? É isso o que oferece o pequeno, mas adorável Liechtenstein. Como parte das comemorações de 300 anos desde que se tornou uma nação soberana, o país criou a trilha Liechtenstein, um caminho de 75km que serpenteia por picos e pastos, passando por todas as 11 municipalidades do país.

Mesmo se você deixar as botas de trekking em casa, Liechtenstein ainda é um lugar fascinante para se visitar: um país rural, mas rico, que é governado por um príncipe cuja residência é um castelo no alto da montanha que se eleva sobre a capital de Vaduz. O aniversário de 300 anos oferece a você um incentivo extra para visitar diversas exposições especiais (incluindo uma amostra dos destaques da Coleção Real, no Museu de Belas Artes) e festas – sendo a maior delas no Dia Nacional, comemorado em 15 de agosto.


O castelo Vaduz é o lar do príncipe de Liechtenstein. © Boris Stroujko / Shutterstock

 

9. Vevey, Suíça

Em 2019, Vevey vai comemorar abrindo mais garrafas de vinho do que nunca, já que a Fête des Vignerons chega à cidade em julho. Organizada apenas uma vez a cada 20 anos desde o século 18, esse festival do vinho dura três semanas e é cheio de apresentações com fantasias extravagantes, desfiles de vacas com sininhos, concertos de trompas alpinas e, se você ainda tiver tempo, é uma chance de provar divinos pinots e chasselas locais em barraquinhas e adegas ao ar livre.

Mas não é só o pedigree em relação a vinhos que torna essa cidadezinha suíça tão inebriante. À beira do lago Genebra, o pequeno centro histórico é lotado de restaurantes de qualidade que oferecem de tudo, desde menus degustação com vinte pratos a um fondue bom e barato. Queime as calorias do que comeu nadando no lago ou passeando pelas vinícolas ao redor, onde você precisará de muita força de vontade para resistir à prova de vinhos.


A bela Vevey está se arrumando para uma grande festa em 2019. © Scott Wilson / Alamy Stock Photo

 

10. Istria, Croácia

Seja o litoral em forma de coração da península, ou os grandes monumentos, ou a sua queda por boa comida (e seu fraco por vinho!), há um toque de realeza em Istria, no norte da Croácia – talvez por isso tenha sido objeto de desejo de romanos, venezianos e austro-húngaros, que disputaram essa terra linda e fértil durante séculos.

Hoje, a península é sua para conquistar, já que o aumento de voos europeus a tornaram mais acessível do que nunca. Comece a sua viagem com um pouco de história (comece pelo imponente anfiteatro romano de Pula e pelos mosaicos listados pela Unesco de Poreč), siga para as praias (Mulini para se ambientar ou Felsen Strand caso busque isolamento), e coroe tudo isso com as atrações mais recentes: tours gourmet a serem feitos de bicicleta durante a primavera, festivais de música no verão e excursões para colher trufas no outono.


Praias, história e ótima comida – Istria tem algo para todos. © Enrico14 / Shutterstock

Este artigo foi publicado em Maio de 2019 e foi atualizado em Maio de 2019.

Europa

Destaques