Europa

La Rambla

Resenha da Lonely Planet

Carcado por ruas de tráfego restrito e plátanos, o meio da Rambla é um largo bulevar para pedestres, lotado todo dia até a madrugada por uma mistura de barcelonins e turistas. Pontuada de cafés, restaurantes, quiosques e bancas de jornais, e animada por artistas de rua, mímicos e estátuas vivas, a Rambla é diversão eterna.

Seu nome vem do córrego (raml, em árabe) sazonal que havia aqui. A partir do início da Idade Média era mais conhecido como Cagalell (Córrego de Merda) e até o século XIV ficou fora dos muros da cidade. Prédios monásticos foram então construídos e subsequentemente, do século XVI ao início do século XIX, surgiram as mansões das famílias ricas. Extraoficialmente, a Rambla é dividida em cinco partes, o que explica algumas pessoas a chamarem de Las Ramblas:

  1. La Rambla de Canaletes: é o ponto de encontro dos torcedores do FC Barcelona quando o time ganha um campeonato.  O nome foi dado graças a uma fonte de água potável da virada do século XX. Hoje, muitas pessoas afirmam que quem bebe da fonte vai voltar a Barcelona.
  2. La Rambla dels Estudis ou La Rambla dels Ocells: conhecido por seu mercado de pássaros (ocells).
  3. La Rambla de Sant Josep ou La Rambla de les Flors: é repleta de barraquinhas de flores. É nessa parte que se encontra o agitado mercado de alimentos Mercat de la Boqueria,
  4. La Rambla dels Caputxins ou La Rambla del Centre: ao sul dessa parte, no lado leste, a Rambla se torna mais barra-pesada, com ocasionais clubes de strip-tease e peep show.

La Rambla de Santa Mônica: o nome vem do convento de Santa Mônica, que hoje abriga uma galeria de arte e o Centre d’Art Santa Mônica.