Dicas e artigos

As melhores coisas para fazer em 2015 - de graça!

Golden Temple, Amritsar, Índia

por Joe Bindloss

Viajar não precisa ser sinônimo de esvaziar sua conta no banco: aqui está o nosso guia para as melhores experiências em viagem que – como o amor – são de graça.

Visitar os museus de Kensington, Londres, Reino Unido

 

 
Natural History Museum
 
Foto: jan kranendonk/iStock/ThinkStock

 

Seja bem-vindo a Kensington, lar dos ricos e famosos, lordes e ladies, Rolls Royces dirigidos por chauffers – e, é claro, dos museus favoritos de Londres.

Os Museus de Kensington são o triunvirato cultural de Londres: espécies coletadas por Charles Darwin enriquecem a coleção do Natural History Museum (Museu de História Natural), enquanto o primeiro trem a vapor do mundo dá o tom no Science Museum (Museu da Ciência). Temos então a elegante coleção do Victoria and Albert Museum, dedicada a 500 anos de moda e design, com itens que vão desde tapetes Persa aos modelitos pós-punk da estilista Vivienne Westwood.

O melhor de tudo: a entrada nos três museus de Kensington é grátis! Mas não se engane: você ficará tentado pela lojinha de presentes do V&A.

Um túnel liga o metrô de South Kensington aos museus de Kensington, mas ande na superfície para almoçar na Exhibition Road.

 

Admirar as estrelas no deserto em Nevada, EUA

 

 
Foto: Michael Neary/iStock/ThinkStock

 

Você só saberá realmente o que é brilho quando vir o céu do deserto à noite.

Uma vez que você escapa da poluição visual de Las Vegas, o céu de Nevada oferece inúmeras oportunidades para admirar as estrelas. Trilhas desérticas próximas à antiga cidade do ouro de Tonopah oferecem vistas incríveis das estrelas, com uma chance remota de avistar uma aeronave secreta de teste e até mesmo OVNIs, provenientes da área de Groom Lake, também conhecida como “Area 51”.

Se os ETs não derem as caras, você ainda assim sairá no lucro, com a vista de 7.000 (ou mais) estrelas e o desenho claro da Via Láctea.

O histórico Mizpah Hotel (mizpahhotel.net) oferece aos visitantes de Tonopah um gostinho da época da fundação dos EUA; uma das camas tem trilhos!

Almoçar no Golden Temple, Amritsar, India

 

 
Foto: mariusz_prusaczyk/iStock/ThinkStock

 

Dizem que não há nada melhor do que almoço de graça, mas no caso do Golden Temple, tanto a entrada quanto o jantar são cortesia também. Hospitalidade é um dos carros-chefes da religião Sikh, e todo dia aproximadamente 40.000 peregrinos vão ao Guru-ka-Langar, o vasto templo (com um quê de hangar), para uma refeição simples de chapattis, curries vegetais e arroz.

Todos estão convidados a se juntar à fila do jantar após completar a circum-navegação ritualística do Amrit Sarovar, o “Lake of Nectar” (lago do néctar) que cerca o Golden Temple, mas uma doação é recomendável para ajudar o trabalho de caridade da fundação do templo.

Além de comer no Golden Temple, você pode ficar nos niwas (hotéis dos peregrinos) – veja goldentempleamritsar.org.

 

Curtir o Rock al Parque, Bogotá, Colômbia

 

 
Parque Simón Bolivar
 
Foto: Nelson Mejia/iStock/ThinkStock

 

Não quer mais pagar preços estilo Beverly Hills por festivais de rock em terrenos lamacentos? Sua busca chegou ao fim – vá ao Rock Al Parque em Bogotá, Colômbia. Você ainda verá os terrenos lamacentos e banheiros duvidosos, mas o ingresso custa deliciosos ZERO pesos.

O festival top da América Latina, com duração de três dias, tem de tudo: de speed metal e power-chord stadium rock a punk, blues e ska.

A banda Dead Kennedys apareceu por lá em 2011, então é possível dizer que o festival tem sua credibilidade.

Um aviso, porém: álcool, cigarro e cintos de metal são proibidos dentro dos locais.

O local principal para o Rock al Parque é o Parque Simón Bolivar; confira o line-up no site rockalparque.gov.co (está em espanhol).

 

Subir a Table Mountain, Cidade do Cabo, África do Sul

 

 
Foto: Jean-Francois Rivard/iStock/ThinkStock

 

O planeta Terra tem um grande número de pontos com paisagens incríveis, a maioria com um preço tão estratosférico quanto as vistas. Felizmente, esse não é o caso de Table Mountain. Os que estiverem dispostos a enfrentar a difícil caminhada da Cidade do Cabo ao topo podem aproveitar as vistas mais icônicas da África de graça, com a opção de pegar o bonde para voltar à cidade (ingressos a partir de 110zar).

Munido de água potável e proteção contra os elementos naturais, você pode escolher entre aproximadamente 350 trilhas, que desafiam os picos cheios de pedra ou deixam você mais tranquilo na rota India Venster, seguindo o caminho do bonde até o topo.

Um mapa é essencial se você planeja conquistar Table Mountain – moradores locais recomendam os mapas produzidos por Peter Slingsbury (slingsbymaps.com).

 

Relaxar na praia no Rio de Janeiro

 

 

Quando o carioca precisa de um momento de relax, ele vai à praia.

As calçadas de Copacabana, Ipanema, Leme, Leblon e da Barra da Tijuca são um playground para surfistas, times de vôlei de praia, adoradores do sol, uma galera tocando violão e gente bonita. Traga um dinheirinho para algumas cervejas num quiosque à beira-mar, e o resto sai de graça.

Como parte das preparações para as Olimpíadas de 2016, wi-fi grátis é oferecido nas praias mais populares, mas muitos cariocas deixam objetos de valor para trás para poderem mergulhar no mar assim que chegam.

Ônibus baratos passam pela orla; as rotas 583 e 584 passam por Copacabana e Ipanema.

 

Admirar as luzes do Norte, Lapônia, Finlândia.

 

 
Aurora boreal na Lapônia
Foto: jamenpercy/iStock/ThinkStock

 

O preço de um cachorro-quente e uma cerveja pode fazer você se perguntar como a Escandinávia pode entrar na lista das melhores experiências grátis do mundo, mas a experiência em questão está no céu, para todo mundo ver. Todo ano, do fim do outono ao começo da primavera, a aurora boreal pinta o céu com cores impressionistas que hipnotizam, que pulsam ainda mais assim que você cruza o Círculo Polar Ártico.

A Lapônia é um ótimo ponto de observação, especialmente nas margens de gelo do Lago Inari, lar do povo Sami.

Inari fica na rota de ônibus entre Ivalo e Rovaniemi, ambos com voos a partir de Helsinki.

 

Andar na Staten Island Ferry (balsa), Nova York, EUA

 

 
Foto: AlbertPego/iStock/ThinkStock

 

Não dá pra dizer que você viu Nova York até vê-la da Staten Island Ferry (balsa). Navegando de St.George em Staten Island até Whitehall em Lower Manhattan, esse transporte gratuito oferece os mesmos primeiros relances da América que receberam os primeiros moradores após chegarem a Ellis Island. O destaque indiscutível é a vista de corpo inteiro da Estátua da Liberdade, mas a chegada ao terminal de Whitehall, com seu fundo icônico de arranha-céus, chega bem perto.

As balsas passam de hora em hora para ambas as direções, 24 horas por dia – veja siferry.com para mais detalhes.

 

 

Surfar em Sydney, Austrália

 

 
Bronte Beach
 
Foto: danbreckwoldt/iStock/ThinkStock             

 

Experiências de graça estão em falta em uma das cidades mais caras da Austrália, mas se você providenciar a prancha, o surfe é grátis. As famosas praias de surf de Sydney estão abertas a todos, e isso inclui as lendárias Manly, Curl Curl, Dee Why, Narrabeen e Freshwater, aonde Duke Kahanamoku, lenda havaiana, foi o pioneiro do esporte em 1914.

Viajantes procurando uma maneira barata de fazer isso encontrarão pranchas usadas em lojas de artigos de segunda-mão ao longo da costa.

Se surfe não é exatamente a sua praia, você pode dar um mergulho de graça nas Dee Why Rockpools ou Bronte, ou ainda Freshwater Baths.

Pranchas de surfe podem ser transportadas de graça nos ônibus e trens de Sydney, contanto que não atrapalhem o caminho dos outros passageiros.

 

Ver a Symphony of Lights, Hong Kong, China

 

 
As ruas agitadas de Hong Kong
 
Foto: Medioimages/Photodisc/Photodisc/ThinkStock

 

O céu iluminado de Hong Kong é um dos maiores espetáculos do mundo. Apareça na Symphony of Lights (Sinfonia das Luzes), que acontece toda noite a partir das 20h, nas construções no porto, e você verá algo realmente espetacular. Fogos de artifício dão um toque a mais em ocasiões especiais, como o Ano Novo Chinês.

Os melhores pontos de observação são a margem do Tsim Sha Tsui, o “calçadão” da Golden Bauhinia Square em Wan Chai e as balsas que ficam atravessando Victoria Harbour.

Um show de sons acompanha as luzes às margens do Tsim Sha Tsui e Golden Bauhinia Square, com comentários em inglês na segunda, quarta e sexta-feira.

 

 

Tradução: Veronica Armiliato Gonzalez

 

Este artigo foi publicado em Janeiro de 2015 e foi atualizado em Janeiro de 2015.