Dicas e artigos

Espanha inexplorada: viaje de carro por Extremadura

Extremadura, Espanha

Isabella Noble

Frequentemente negligenciada e subestimada, a região de Extremadura é, na verdade, uma das mais fascinantes da Espanha, com a sua mistura de fatos históricos que impactaram os rumos do mundo com delícias culinárias contemporâneas. Nessa terra na fronteira com Portugal, que viu o nascimento de muitos conquistadores, o passado ainda sobrevive. Aventure-se por lá e descobrirá povoados parados no tempo, castelos raquíticos, mosteiros tranquilos, uma linda zona rural e uma culinária regional de dar água na boca.

Nosso roteiro de 7 dias parte do princípio de que você chegará a Extremadura partindo de Madri, da qual Cáceres fica a 300km na direção sudoeste. Você também pode iniciar o tour em Sevilha e viajar para o norte, ou em Salamanca e seguir para o sul. Os melhores meses para explorar a área são abril, maio e setembro. Embora seja possível chegar à maior parte desses destinos de ônibus ou trem, viajar de carro lhe garante boa liberdade e flexibilidade.

Dia 1: Cáceres mágica

(Foto: Getty Images/Lonely Planet)

Seja no burburinho urbano de sua Plaza Mayor, seja no ritmo suave de um violão nas ruas sinuosas da sua Ciudad Monumental, declarada Patrimônio Mundial da Humanidade, Cáceres tem um ar mágico.

Volte ao século 18 com um passeio pelo Arco de la Estrella, na cidade velha, e tome café da manhã no artístico e descolado Los Siete Jardines. Observe as fachadas elaboradas das grandiosas mansões renascentistas e dos palácios e explore as Plazas de Santa María, San Jorge e San Mateo. O excelente Museo de Cáceres merece uma visita, e você pode visitar o sofisticado Palacio de los Golfines de Abajo antes de subir na Torre de Bujaco, do século 12.

Cáceres oferece algumas das comidas mais deliciosas de Extremadura. Não deixe de fora do seu banquete tapas espanholas-internacionais, como o filé ao molho cremoso de Torta del Casar (um queijo local) da tapería (bar de tapas) chique e badalada La Cacharrería, na cidade velha. A melhor experiência gastronômica de Extremadura se dá no luxuoso Atrio, e depois você pode finalizar com coquetéis entre as paredes forradas de trepadeiras no El Corral de las Cigüeñas, ou beber uma cerveja artesanal local no Las Claras.

Onde dormir

O Atrio todo branco é um sonho em forma de hotel-design de 5 estrelas. Já o Hotel Casa Don Fernando possui quartos modernos e estilosos em plena Plaza Mayor.

LEIA MAIS: Granada além da Alhambra

Dia 2: Na natureza selvagem - Parque Nacional de Monfragüe

(Foto: Getty Images/Lonely Planet)

Comece cedinho: é hora de explorar as dramáticas áreas ondulantes do Parque Nacional de Monfragüe, de 180 km2. Esse é o lar de 75% das espécies de aves protegidas na Espanha, o que o torna um paraíso para os observadores de pássaros. Também se trata de um vasto parque de diversões ao ar livre para os amantes das caminhadas.

Observe um bando de abutres-fouveiros patrulhando os céus do sensacional Mirador Salto del Gitano e Castillo de Monfragüe. Entre outros amigos voadores, há ainda as águias imperiais espanholas, em risco de extinção, as cegonhas-pretas e os urubus-de-cabeça-preta.

O centro de visitantes principal do parque fica em Villareal de San Carlos, 75 km a nordeste de Cáceres. Desembarque no Restaurante Monfragüe de Villareal para experimentar a típica culinária de Extremadura, rica em carnes. No lado sul do parque, Torrejón el Rubio também possui um centro de informações.

Onde dormir

Monfragüe está a uma viagem fácil de um dia partindo de Cáceres, mas, se você preferir passar a noite, a Casa Rural Monfragüe, em Villareal, oferece quartos rústicos coloridos.

Dia 3: Trujillo e as Américas

(Foto: Getty Images/Lonely Planet)

Siga 52 km a leste de Cáceres até Trujillo, de onde os mais famosos conquistadores da Espanha partiram para o Novo Mundo no século 16.

Não é à toa, então, que, graças a esse passado, a desgastada Trujillo ainda brilhe com esplêndidos palácios barrocos e renascentistas, fachadas de pedra elaboradas, aljibes (cisternas) da era moura bem escondidos, as torres espiraladas da igreja e jardins exuberantes forrados de primaveras.

Abasteça-se na majestosa Plaza Mayor, sob o olhar cortante da imponente estátua de bronze de Francisco Pizarro – na qual a Mesón La Troya é lendária por suas porções gigantes de comida típica de Extremadura –, depois comece a explorar a cidade velha murada. A Iglesia de Santa María la Mayor, do século 13, e a Casa-Museo de Pizarro, do século 15, merecem a sua visita, ainda mais se quiser conhecer a verdadeira história dos cinco irmãos Pizarros, todos conquistadores. A sua última parada deve ser o misterioso castelo mourisco do século 10 que coroa Trujillo antes do jantar em El 7 de Sillerías, que delicia os convivas com carnes de alta qualidade preparadas em estilo local.

Onde dormir

A Posada Dos Orillas tem lindos quartos de inspiração colonial em uma casa do século 15 restaurada.

LEIA MAIS: Uma viagem perfeita à Catalunha

Dia 4: Graciosa Guadalupe

(Foto: Getty Images/Lonely Planet)

Hoje, você embarcará em uma peregrinação de 78 km na direção leste, partindo de Trujillo para Guadalupe. A recompensa? O glorioso e reluzente Real Monasterio de Santa María de Guadalupe, construído no local onde, diz a lenda, um pastor do século 14 desenterrou uma estátua de madeira da Virgem. Os conquistadores de Extremadura levaram o culto à Virgen de Guadalupe para o Novo Mundo, tornando-a a santa padroeira da América Latina. Peregrinos de todo o planeta ainda se reúnem em Guadalupe por uma chance beijar o manto da estátua.

Faça um tour pelo mosteiro, passando por sua extravagante coleção de arte, joias, iluminuras e outras riquezas. Você também verá dois claustros lindos, um em estilo Mudéjar do século 14, e outro gótico.

Onde comer e dormir

A Hospedería del Real Monasterio permite que você coma e durma em quartos antiquados (no bom sentido), cheios de personalidade, no maravilhoso claustro gótico do mosteiro.

Dias 5 e 6: Mérida romana

(Foto: Getty Images/Lonely Planet)

Siga por 125 km na direção sudoeste de Guadalupe até Mérida, a capital de Extremadura. Repleta das melhores relíquias romanas, Mérida já governou a província romana de Lusitânia – você precisará de dois dias para explorá-la bem. Um ingresso combinado de 12 euros dá direito à maioria das suas atrações.

Inicie com o deslumbrante Museo Nacional de Arte Romano, antes de chegar ao espetacular Teatro Romano, com capacidade para 6 mil pessoas, construído em 15 a.C. Desça a colina passando pelo Templo de Diana, do século 1 a.C., para admirar o Puente Romano, depois pule nove séculos até a Alcazaba moura. Ali perto, o restaurante El Trasiego serve deliciosa culinária contemporânea. Entre outros tesouros históricos, estão o Acueducto de los Milagros, a Cripta de Santa Eulalia e um circo romano do século 1 d.C.

Na hora do jantar, o elegante Tábula Calda mistura os ingredientes favoritos da Espanha produzidos localmente, enquanto La Bodeguilla encanta com clássicos de Extremadura, de carnes grelhadas a travessas com o mais fino jamón (presunto curado).

Onde dormir

Hospede-se no fabuloso Hostal Emeritae ou nos apartamentos multicoloridos do Capitolio, em esquema tipo flat. 

LEIA MAIS: Plaza de Mayo: história e atrações

Dia 7: Direção sul, para Zafra

(Foto: Getty Images/Lonely Planet)

A partir de Mérida, são 60 km para chegar à atraente Zafra. No caminho, passe pelo recém-restaurado Castillo de Feria, do século 15, que floresceu sob a formidável dinastia Feria e desfruta de panoramas de 360o do alto de sua colina.

De origem moura, Zafra possui uma cidade velha que é uma verdadeira joia banhada de sol e salpicada de flores. Visite o Convento de Santa Clara, construído no século 15 em estilo Mudéjar e ainda em funcionamento, onde a família Feria está enterrada. No almoço, opte por tapas sob as arcadas da Plaza Grande, pontilhada de palmeiras, e da Plaza Chica, ao lado. Depois, faça a visita ao espetacular pátio de mármore renascentista do castelo principal de Zafra, hoje um parador (hotel estatal de luxo). No jantar, coma frios no mais puro estilo tradicional e sobremesas deliciosas em La Rebotica.

Gire a sua expedição por Extremadura para a direção sul e percorra 45 km de Zafra até Monesterio. Essa cidade modesta produz um dos mais celebrados jamóns da Espanha – e também abriga o excepcional Museo del Jamón.

Onde dormir

Seja você o rei (ou a rainha) do castelo no belamente restaurado Parador de Zafra, do século 15. 

Este artigo foi publicado em Maio de 2016 e foi atualizado em Maio de 2016.