Dicas e artigos

O melhor da Europa 2017

O melhor da Europa 2017

Destacamos os melhores destinos europeus para você conhecer em 2017

A Europa é um baú de tesouros em questão de experiências turísticas incríveis, o que pode complicar a tarefa de escolher para onde ir. Por sorte, os especialistas em viagens da Lonely Planet puseram a mão na massa e agora mostram os lugares ideais para você acrescentar à sua lista de desejos em 2017.

1. Zagreb, Croácia

© Niar / Shutterstock​

Visitantes da Croácia costumam ir direto para as delícias do Mar Adriático no extenso litoral do pais, mas sua agitada capital não deve ser ignorada. Zagreb é, ao mesmo tempo, cosmopolita e supermoderna, com sua emocionante mistura de arquitetura brutalista e praças austro-húngaras banhadas de sol e recheadas de amantes de café.

A renovação urbana está transformando a cidade. Arte na rua, em especial o trabalho impressionante do artista local Lonac, enfeitam Zagreb em telas ao ar livre, novas galerias e espaços criativos, que estão sendo abertas em um ritmo ambicioso, até mesmo em um antigo abrigo antibombas da Segunda Guerra Mundial recém-inaugurado sob a Cidade Alta. A cereja do bolo é que a cidade é lar de uma cena culinária incrível e de cervejas artesanais em ascensão e, com a abertura do muito esperado aeroporto de Zagreb no início de 2017, junto a várias rotas de voos, nunca foi tão fácil e barato chegar à capital croata.

2. Gotlândia, Suécia

© Niar / Shutterstock ​

Gotlândia é uma parte especial da Suécia e, ainda que um pouco inesperada, exibe a maior densidade de locais históricos e de dias ensolarados do país; além disso, há mais restaurantes per capita na cidade Visby, tombada pela Unesco, do que em qualquer outra cidade sueca. Essa antiga ilha báltica também tem uma paisagem de tirar o fôlego, com um interior pastoral, florestas misteriosas, vilas de pescadores que pararam no tempo e praias tranquilas de areia fofa – tranquilidade que não se aplica a alta temporada de verão, quando os suecos chegam aos montes e a ilha ganha um ar exuberante, que este ano será acentuado pelos Jogos Bienais da Ilha, com duração de uma semana, em junho.

A maioria dos visitantes se contenta com um pouquinho menos de esforço físico quando se tratam de atividades, e a ilha é simplesmente maravilhosa para ser explorada de bicicleta, com estradas quase sem tráfego e paisagens imaculadas.

3. Galícia, Espanha

© Migel / Shutterstock

Centenas de milhares de pessoas caminham pelo verdejante interior da Galícia todos os anos, na rota para Santiago de Compostela nos mundialmente famosos Caminhos de Santiago. Porém, poucas sabem que esse canto noroeste da Espanha é uma bela combinação de paisagens, gastronomia e cultura, um sonho a ser explorado além dos Caminhos.

Quase um país por si só, a Galícia tem seu próprio idioma e história, sua própria música (com foco na gaita de fole), uma maravilhosa herança de arquitetura centenária e pessoas extremamente acolhedoras. Mais de 1.000km de litoral serpenteiam por suas longas enseadas, profundos penhascos, bonitas vilas de pescadores e centenas de praias. Ela produz alguns dos melhores pratos de frutos do mar que você vai provar, para os quais os característicos vinhos galegos são o acompanhamento perfeito. E 2017 é um momento especial para aproveitar o vinho e a bebida da Galícia, com Cambados comemorando o ano como Cidade Europeia do Vinho.

4. Norte de Montenegro

© dellaliner / Getty Images​

Se os navios de cruzeiro que fazem fila na baía de Cátaro servirem de evidência, com certeza o incrível litoral de Montenegro no Mar Adriático não é mais um segredo. Por sorte, o ignorado norte de Montenegro está fervilhando de aventuras que fogem do óbvio... e sem multidões. Além disso o tamanho compacto do país e suas boas estradas fazem com que essa região remota seja mais perfeita para a exploração do que você imagina.

Os caçadores de aventuras podem praticar rafting no cânion mais profundo da Europa em Tara, ou passear de bicicleta pelas paisagens do anel de Durmitor. Os amantes da boa culinária são atendidos nas cidades das terras altas, onde podem aproveitar a cena crescente de slow food de Montenegro, com queijos das montanhas e ensopados de carne bem servidos; enquanto entusiastas da história podem fazer uma peregrinação até impressionantes monastérios cravados em encostas de penhascos em Ostrog ou em vales de tirar o fôlego em Morača.

5. Leeds, Reino Unido

© Sergey_Bogomyako / Shutterstock

A prima exótica de Manchester, Leeds, passou a última década abandonando sua reputação de cidade estudantil, recriando-se como cidade de desejo para amantes de cervejas artesanais, se destacando como um centro artístico em crescimento e um destino supermoderno para quem curte um programa à noite.  

Projetos recentes impulsionaram seu centro vitoriano e o cênico distrito de moinhos no século 21, atraindo butiques estilosas, cafeterias e restaurantes inovadores e pessoas em busca de uma alternativa a Londres. Agende sua visita durante o fantástico festival culinário independente, que ocorro durante duas semanas de maio – uma prova da crescente reputação de Leeds como capital da comida e da bebida no norte do país.

Este ano também marca dois grandes eventos: a reabertura da mais importante galeria de arte da cidade e o aniversário de 50 anos do carnaval de Leeds, a mais antiga festa da Europa, autenticamente caribenha, anterior a de Notting Hill.

6. Alentejo, Portugal

© ARoxoPT / Shutterstock​

Castelos em penhascos ameaçadores, litorais rochosos e maravilhas culinárias: o Alentejo, em Portugal, tem um charme magnético. Essa vasta região também é lar de Patrimônios Mundiais da Unesco, de monumentos pré-históricos e de muitas outras belezas escondidas (um alto templo romano, uma misteriosa capela feita de ossos). Ainda assim, apesar de ser fácil de chegar lá partindo de Lisboa, o Alentejo permaneceu fora do radar dos turistas até recentemente.

Tudo isso mudou com a construção de uma trilha costeira de vários dias (a Rota Vicentina) e a inauguração de uma série de restaurantes criativos e pousadas cheias de imaginação (inclusive a Train Spot, localizada dentro de uma estação ferroviária que passou por uma ótima reforma). Novos investimentos em turismo não roubaram a beleza atemporal do Alentejo, de seus vinhedos ondulantes, de suas vilas medievais ou de sua rica culinária tradicional, que está entre as melhores de Portugal.

7. Norte da Alemanha

© Jenny Sturm / Shutterstock

Quem visita a Alemanha costuma ficar tentado pela modernidade de Berlin ou a singularidade da Bavária, mas aqueles que anseiam explorar uma parte do país pouco conhecida pelos turistas devem seguir para o norte. A abertura da sala de concertos Elbphilharmonie de Hamburgo talvez seja a grande notícia de 2017, mas, além desse esplendor arquitetônico e acústico, há uma terra varrida por ventos feita sob medida para quem busca a exposição aos elementos da natureza.

Essa região extensa do país tem um litoral imaculado contornado por praias esplêndidas e guardado por pequenas ilhas. Em seu interior existem cidades carismáticas como Lübeck e Bremen, que têm um pedigree medieval e ficam a apenas uma viagem de trem de distância de lugares como Lutherstadt Wittenberg e Eisenach, que desempenharam fundamentais na Reforma Protestante – que em 2017 completa 500 anos.

8. Moldávia

© Uladzik Kryhin / Shutterstock

Esse país de adegas de vinho secretas e monastérios na beira de penhascos é fronteira final da Europa: pouco visitado, perdido no tempo e sempre surpreendente. Na capital da Moldávia, Chişinău, alamedas verdejantes se entrelaçam a altas construções em concreto. Seus inesperados cafés parisienses e seus bares recheados de vinhos locais que continuam a ganhar elogios enquanto a Moldávia recebe a ExpoVin de 2017 e a Competição de Vinhos e Bebidas Alcóolicas do Mar Negro.

Prove as melhores amostrar nas adegas de visual gótico de Mileștii Mici, que abrigam a maior coleção de vinhos do mundo. Explore o sagrado Orheiul Vechi, circulado por falésias de calcário, ou solitários monastérios à beira de rios, como Saharna e Tipova. A leste do rio Dniestr, está a autoproclamada (embora não reconhecida) república de Transdniestr, uma região com inclinações políticas russas presa no passado soviético. Até turistas experientes em Europa vão ficar impressionados e desorientados na Moldávia.

9. Pafos, Chipre

© Sergey_Bogomyako / Shutterstock​

A primeira capital do Chipre em tempos romanos, Pafos mais uma vez se vê com esse título: nomeada a Capital Europeia da Cultura em 2017. O prêmio traz consigo a atenção do mundo, um significativo investimento e muita oportunidade para exibir a cultura local. E há muito a admirar. A ilha de Afrodite já teve tantas ocupações que a história empilhou monumento sobre monumento nas suas costas ensolaradas: catacumbas, templos, castelos e mosaicos da era romana, além de Kato Pafos e a Tumbas dos Reis, Patrimônios da Unesco, dão vida a uma fascinante era do passado.

Inspirada por essa história, Pafos vai se transformar, socialmente e espacialmente, em uma Fábrica ao Ar Livre, que realizará mais de 300 eventos, a fim de estabelecer uma relação com diferentes culturas. O que poderia ser melhor para um destino turístico em 2017?

10. Le Havre, França

© Sergey_Bogomyako / Shutterstock

Um dos melhores lugares para visitar neste verão é a cidade de Le Havre na Normandia, que vai comemorar seu 500o aniversário com uma fête que durará cinco meses, cheia de música e arte. A cidade portuária vai receber shows, exposições de arte ao ar livre, desfiles avant-garde nas ruas, bailes à fantasia e fogos de artifício espetaculares. Os destaques incluem apresentações dos gigantes mecanizados da Royal de Luxe e um templo zen flutuante, com deck de observação embaixo d’água.

Apesar da idade de Le Havre, a cidade é uma atraente exposição de arquitetura moderna – inclusive com projetos de nomes como Auguste Perret, Othello Zavaroni e Oscar Niemeyer –, uma vez que foi completamente reconstruída após a Segunda Guerra Mundial. Le Havre também é uma ótima base para explorar outras partes da Normandia, das famosas praias a penhascos pitorescos de Étretat.

11. Kiev, Ucrânia

 © Vlada Photo / Shutterstock

Em 2017, Kiev voltará às manchetes, mas pelo motivo certo dessa vez. Como ganhou o Eurovision Song Contest dramaticamente no último suspiro em 2016, é a vez da Ucrânia de receber o show de talentos favorito do mundo, em meados de maio. Qualquer que seja o resultado, com certeza não será ruim para a cidade anfitriã.

Além do grande evento, Kiev deve continuar construindo sua reputação como a cidade mais animada da Europa oriental. Junto a suas igrejas ortodoxas perfumadas de incensos e famosíssimos monumentos da era soviética, a capital ucraniana desenvolveu um lado excêntrico, com uma vida noturna cada vez mais agitada e uma cultura jovem e moderna de cafeterias. Isso tudo tendo como pano de fundo murais enormes pintados por artistas internacionais nas fachadas antes vazias da cidade.

Este artigo foi publicado em Maio de 2017 e foi atualizado em Maio de 2017.