Dicas e artigos

Os dez destinos com melhor custo-benefício para 2018

O melhor de 2018

Os especialistas de viagem da Lonely Planet vasculharam o globo para encontrar destinos irresistíveis, experiências inesquecíveis e tendências do próximo ano que você não pode deixar de conhecer.​

1. Tallinn, Estônia

A capital da Estônia é compacta, elegante e extremamente barata. Explore a pé (e sem pagar nada) uma das cidades antigas mais encantadoras da Europa Oriental, hospede-se em dormitórios coletivos em hostels, pousadas ou residências privadas com valores bem acessíveis, e extasie-se com vistas para o Mar Báltico e um panorama esplêndido da cidade do terraço do vasto Linnahall (um dos melhores passeios gratuitos de Tallinn). A cidade não é nenhum segredo, já que está conectada por voos econômicos de toda a Europa – mas se quiser curtir uma amostra de Tallinn, então vá ao Kalamaja, um bairro em rápida evolução que abriga a Cidade Criativa de Telliskivi. Os food-trucks aqui oferecem refil de bebidas dignos de fotos do Instagram, sem pesar na carteira.

A encantadora Cidade Velha de Tallinn tem um clima de conto de fadas

© kavalenkava volha / Shutterstock

2. Lanzarote, Ilhas Canárias, Espanha

Na última década, turistas independentes bem-informados têm cada vez mais procurado Lanzarote. Uma infraestrutura de ponta os aguarda, o que facilita a vida na hora de encontrar hospedagens, refeições e aluguéis de carro mais em conta. Há muitas diversões pragmáticas, mas Lanzarote também revela incríveis peculiaridades. O cenário enluarado do Parque Nacional de Timanfaya, praias incólumes em Órzola e vinícolas de areia negra em La Geria, recompensam aqueles que vêm para cá buscando mais do que férias tradicionais no litoral. Em um pequeno pacote, você pode explorar as marcas artísticas e arquitetônicas de César Manrique, percorrer trilhas estonteantes e maravilhar-se com vistas inesperadas e de cair o queixo ao longo das muitas estradas de Lanzarote.

Formações de pedras calcárias próximas à praia de El Golfo, em Lanzarote

© Oleg Znamenskiy / Shutterstock

3. Arizona, EUA

Para curtir aventuras com preços acessíveis no Arizona, comece com simples motéis de beira de estrada, depois vá acampar e caminhar. Visite o Parque Nacional Saguaro durante o dia ou venha de carro pela noite partindo de Tucson. No Organ Pipe Cactus National Monument você encontrará menos visitantes para competir pela vista. Na temporada intermediária consegue-se preços muito bons: visite a Borda Sul do Grand Canyon de março a maio e de setembro a outubro para aproveitar temperaturas mais amenas com menos multidões. Para curtir a menos visitada Borda Norte, vá em maio ou outubro. Procure os spas e campos de golfe de Scottsdale entre junho e agosto. Claro, é quente durante o dia – mas sempre tem uma piscina para aqueles horas mais insuportáveis.

Um clique do imponente Rio Colorado, que esculpe a Curva da Ferradura no macio arenito do Arizona

© FilippoBacci / E+

4. La Paz, Bolívia

Espetacularmente situada a 3.660m de altitude, La Paz é um dos lugares mais baratos para viajar na América do Sul, esteja você interessado em conhecer os costumes, aprender espanhol ou simplesmente curtir as ruas coloridas em meio a um cenário andino. Turistas mais econômicos conseguem gastar menos de US$30 por dia, comendo em mercados inesquecíveis e fazendo caminhadas e passeios de bicicleta. La Paz também tem uma cena luxuosa emergente, mas acessível, exemplificada por jantares estupendos em lugares como o Gustu, fundado por Claus Meyer do restaurante Noma. Hotéis elegantes e cafeterias modernas são inauguradas todos os dias, tudo a custos bem mais baixos do que seus equivalentes em outros lugares. Não perca tempo: La Paz está em alta. Chegue a La Paz pelo Aeroporto Internacional de El Alto – o mais alto do mundo, a 4.061m de altitude – por voos que partem de Miami e Washington DC.

La Paz é de tirar o fôlego, em todos os sentidos

© Matyas Rehak / Shutterstock

5. Polônia

A Polônia, de alguma forma, consegue se manter acessível e relativamente pouco visitada. Claro, Cracóvia atrai multidões, mas você pode explorar o país gastando menos que em Praga ou Berlim. Além de Cracóvia, o país possui uma lista de lugares pouco visitados na Europa. Ao norte, explore a velha cidade reconstruída de Gdansk e sua paisagem litorânea embasbacante. Depois, vá conhecer as belezas históricas de Lublin, Toruń e Tarnów (onde não há muitos turistas) para aproveitar uma semana maravilhosa. Se tiver mais tempo, considere explorar as atrações das montanhas a preços bem convidativos em Zakopane ou avistar bisões no Parque Nacional de Białowieża. Trens e ônibus muito baratos, comidas e cervejas a preços justos, além de hospedagens em conta, completam o passeio.

 A linda Cracóvia atrai multidões, mas a Polônia tem muito mais a oferecer

© Mark_and_Anna_Wilson / Shutterstock

6. Essaouira, Marrocos

Você ama o Marrocos? Já esteve em Marrakesh? Nós também. Se está procurando outro lugar, ainda mais acessível, deste seguro pedaço do norte da África, então Essaouira pode ser o destino ideal para você. Essaouira pode agora ser acessada diretamente por voos econômicos vindos do Reino Unido e da França. As vielas estreitas da cidade murada, com seus tradicionais hammams e a medina, aguçam os prazeres sensoriais. A brisa propicia ventos incríveis para a prática de kitesurfe, além de revigorantes caminhadas pela praia. A hospedagem em casas típicas marroquinas (os riads) é econômica, principalmente se estiver viajando em grupo ou com a família. O melhor de tudo, a comida é sensacional, mesmo pagando pouco, em especial a recém-chegada culinária de peixes e frutos do mar.

Um estaleiro cheio de barcos de pesca azuis, em Essaouira

© Matej Kastelic / 500px

7. Reino Unido

Enquanto o governo do Reino Unido se preocupa com o Brexit, os turistas aproveitam para colher os frutos. O resultado imediato do referendo de 2016 sobre a permanência na União Europeia foi o enfraquecimento da libra em relação a quase todas as moedas do mundo: boa notícia para aqueles, como nós, que planejam uma viagem para Londres, sem grande tradição em ser um paraíso para turistas mais comedidos. Faça o câmbio valer ainda mais a pena indo para Devon, Cornualha e cidades caras como Bath, York e Edimburgo (elas ficam mais baratas fora dos recessos escolares, como Páscoa, julho e agosto). Fique de olho nas flutuações cambiais, mas é mais provável que o Reino Unido continue acessível para turistas internacionais – pelo menos, até ser possível ter uma noção melhor de qual será o verdadeiro cenário do pós-Brexit.

A Ponte Pulteney do século 18, na histórica Bath, apenas um dos muitos destinos tentadores no Reino Unido, principalmente para os turistas que gostam de uma barganha

© bento42894 / Shutterstock

8. Baixa Califórnia, México

É a segunda maior península do mundo; mas para muitos, visitar a baixa Califórnia ainda significa uma fugidinha rápida pela fronteira até Tijuana ou Tecate – ou seja, há 1.200km de território pouco explorado. Verdade seja dita, os preços aqui podem ser mais altos do que em outras partes do México devido a sua localização relativamente remota. Mas se vier dos EUA, você economizará dinheiro viajando para cá. No norte, a rota do vinho através do Valle de Guadalupe é igual a Napa, mas muito mais barato. Enquanto isso, cidades como Todos Santos, Loreto, San Ignacio, Mulegé e La Paz são autenticamente mexicanas e contam com acomodações bem baratas.

Um surfista pegando uma onda na tranquila Baixa Califórnia

© Javier Garcia / Shutterstock

9. Jacksonville, EUA

Jax, como os locais a chamam, não tem chamado muita atenção internacional, como outros destinos na Flórida – apesar de seus 35km de praias, surfe, arte e música ao vivo. Há longas extensões do St Johns River, o Canal Intracosteiro e o maior sistema de estacionamento urbano da América para que se possa explorar tudo a pé, de bicicleta ou, o melhor de todos, num passeio guiado de caiaque. Pequenas churrascarias e cafeterias próximas à praia oferecem jantares em família com bons preços, enquanto uma caneca com meio litro de cerveja artesanal, em uma das oito cervejarias locais, pode custar menos que US$3,50. Jacksonville não é só barata para dormir (com as menores tarifas do estado), mas você sente como se estivesse descobrindo um lugar novo.

Vista panorâmica do abundante litoral de Jacksonville

© TraceRouda / iStockphoto / Getty Images

10. Hunan, China

Chovem atrações em Hunan. Em Zhangjiajie, um cânion de arenito impressionante com quase 250 picos de formatos bizarros, foi inaugurada em 2016 a mais longa ponte de vidro do mundo. Outro lugar que você não pode deixar de ir é Fenghuang, uma cidade histórica estonteante que, quase literalmente, fica suspensa sobre o Rio Tuo. Se ainda não se convenceu, a capital provincial de Changsha é a terra natal de Mao Tsé-Tung. Sendo a China, os custos de fato são bem baixos: os gastos com refeições e acomodação ficam abaixo dos US$10, e mesmo refeições suntuosas da excelente culinária de Hunan, nos lugares mais chiques, não custam mais do que o dobro disso.

O cenário deslumbrante do Parque Florestal de Zhangjiajie, em Hunan, China

© JekLi / Shutterstock

Este artigo foi publicado em Outubro de 2017 e foi atualizado em Outubro de 2017.