Dicas e artigos

Atrás de arte em Carmel-by-the-Sea e Big Sur

Jay Gentile

Ao longo da bela Highway 1 da Califórnia, aninhada no alto de penhascos selvagens com vista para as ondas do Oceano Pacífico, ficam as pitorescas comunidades de Carmel-by-the-Sea e Big Sur. Por mais de cem anos, esses pacíficos retiros de artistas têm enchido de criatividade todas as formas de expressão da cultura local. Arte não é um luxo aqui, é um estilo de vida.


Arte é um estilo de vida ao longo da Costa Central da Califórnia  © Chris Cheadle / Getty Images

Carmel, uma cidade fundada por artistas

Alguns dos primeiros residentes de Carmel-by-the-Sea, incluindo artistas visuais, escritores e poetas, viviam em tendas perto da costa. Então, logo depois do terremoto de 1906 em San Francisco, a área foi inundada por músicos, escritores, pintores e outros artistas atraídos pela florescente colônia artística.

Esses artistas estavam interessados em criar sua própria vila de fantasia e uma das primeiras coisas que você nota quando caminha pelas românticas ruas de paralelepípedos de Carmel (não há semáforos ou cadeiras de restaurante na cidade) são os chalés de contos de fadas construídos nos anos 20 e chamados de casas Comstock. Esses chalés fundam a estética de toda a vila e quase tudo, de postos de gasolina a orelhões, possui os mesmos telhados. Entre os chalés originais, 21 ainda existem e muitos estão abertos ao público, incluindo o Tuck Box, um restaurante descontraído com um sereno pátio ao ar livre.


O Tuck Box é só uma das muitas construções de contos de fadas em Carmel-by-the-Sea © John Elk / Getty Images

O poeta de Carmel Robinson Jeffers construiu a histórica Tor House para sua família em 1918. O poeta fez a casa com pedras de granito que ele recolheu na orla Carmel Bay e nas (ainda hoje) brancas areias de Carmel Beach. Ele construiu a Hawk Tower como um retiro para sua mulher e um lugar mágico para seus filhos gêmeos.

O arquiteto Frank Lloyd Wright também deixou uma marca em Carmel-by-the-Sea: os fãs podem babar na casa desenhada por Wright, conhecida como Della Walker House, perto da praia de Carmel, com vista para o oceano.  

Até alguns dos simpáticos hotéis de Carmel (a maioria deles recebe cachorros) foram construídos com a ajuda de artistas locais. O pintor Chris Jorgensen construiu uma mansão de pedra em 1905 como um presente para sua noiva, que hoje é parte do absurdamente lindo hotel La Playa Carmel.


Uma passeio pela cidade mágica de Carmel-by-the-Sea oferece várias galerias para olhar © Craig Lovell / Getty Images

Arte na vila à beira mar

Com mais de 100 galerias de arte, estúdios e antiquários em 1km², Carmel tem hoje uma das maiores concentrações de galerias de arte nos Estados Unidos. Explore o charmoso centro para mergulhar em uma ampla oferta de arte, de artistas nacionais e internacionais em showrooms como a New Masters Gallery a uma enorme gama de peças de artistas locais exibidas em um cenário arborizado na Carmel Art Association (uma das mais antigas associações do tipo nos Estados Unidos).

Fãs de cinema também vão ficar animados ao descobrir que Clint Eastwood foi prefeito de Carmel de 1986 a 1988, quando um de seus atos mais famosos foi revogar uma arcaica lei local que tornava vender ou comer sorvete em ruas públicas ilegal (hoje em dia, Carmel ainda possui diversas peculiaridades divertidas, como uma proibição ignorada de se usar saltos altos em público e casas sem endereço). Se inspire no espírito rústico de Eastwood e tome uma bebida no seu antigo pub, o Hog’s Breath Inn (onde sósias do ator abundam), ou seu atual restaurante chique, o Mission Ranch.


A paisagem perfeita da Point Lobo State Nature Reserve foi a inspiração para a Ilha do Tesouro de Robert Lewis Stevenson © Michael Marfell / Getty Images

Buscando o espírito boêmio do Big Sur

Os amantes da arte ficarão satisfeitos de descobrir que a arte não para nos limites de Carmel. Longe disso, ela se estende em todas as direções ao longo da pitoresca Península de Monterey, especialmente ao sul onde o mais lindo pedaço da Highway 1 leva ao icônico enclave de artistas do Big Sur.

Quando você estiver descendo para o Big Sur, não fique surpreso ao ver artistas pintando o cenário com cavaletes que eles armaram ao longo das trilhas do Garrapata State Park, músicos tocando guitarra no topo de vãs estacionadas no acostamento, ou escritores rabiscando cadernos enquanto observam as ondas se quebrando lá embaixo. Você também pode entrar nesse espírito artístico ao caminhar pelos penhascos à beira mar, onde venta muito, em Point Lobos State Natural Reserve, perto do lugar em que Robert Louis Stevenson supostamente teve a inspiração para seu clássico romance Ilha do Tesouro.


Escreva, leia e se inspire na Henry Miller Memorial Library © Blaine Harrington III / Getty Images

Os fantasmas de escritores famosos da Geração Beat e além te seguem por todos os cantos do Big Sur, da T Henry Miller Memorial Library (o famoso autor viveu no Big Sur entre 1944-1962) ao lendário Esalen Institute, onde Hunter S. Thompson trabalhou como segurança, quando ali ficavam as Termas do Big Sur. Enquanto a reputação de festeira de Esalen diminuiu significativamente como recuo da contracultura (em seu auge, você pode assistir ali seminários ministrados por gente como Joan Baez e Aldous Huxley), você ainda pode se inspirar com a atmosfera hippie desse retiro de meditação e nadar nu nas termas onde roupas são opcionais e que oferecem uma bela vista do Pacífico de cima de um penhasco.

Antes o lugar de uma cabine comprada por Orson Welles e Rita Hayworth, o icônico Nepenthe é o lugar perfeito para relaxar e absorver tudo. Experimente uma taça de vinho local no pátio ao ar livre com vista para o mar. Você também pode ter a experiência de um artista moderno no descontraído Big Sur Deli & General Store, onde não é raro se escutar um pequeno grupo de artistas e locais conversando sobre o sentido da vida.


Com vistas de tirar o fôlego em cada curva e uma longa história de expressão artística, não é difícil apreciar a arte do Big Sur © Jason Todd / Getty Images

A arte está no ar

É uma das estradas mais bonitas do mundo, serpenteando por penhascos à beira mar cercados de florestas não-habitadas. E sem anúncios ou outdoors por toda a rota, você pode entender por que Henry Miller escreveu sobre o Big Sur: “É a aparência da terra, como o Criador quis que ela fosse.” Há um motivo para tantos antigos residentes terem escrito aqui (pense no Big Sur de Jack Kerouack), para Ansel Adams tirar fotos de natureza aqui, para Trent Reznor criar música aqui e para dezenas de filmes terem sido filmados aqui. Há algo no ar e você pode sentir.

Quer você esteja visitando famosos centros de artistas ou simplesmente explorando a beleza natural da área sem um destino final em mente, ainda é fácil captar o sentimento de liberdade e espiritualidade que atraiu tantos artistas para cá por gerações. E apesar de um significativo aumento recente de popularidade (com 4-5 milhões de visitantes anuais viajando pelo Big Sur), esse espírito inconfundível segue vivo e visceral ainda hoje.

Este artigo foi publicado em Março de 2019 e foi atualizado em Março de 2019.