Dicas e artigos

E se alguém no seu voo for diagnosticado com Covid-19?

John Walton

Se você precisa viajar neste momento, é provável que esteja preocupado com o que acontecerá se alguém no seu voo estiver infectado com o SARS-CoV2, o coronavírus causador da Covid-19. Companhias aéreas e autoridades em terra estão, no entanto, preparadas para essa situação.

 

As companhias aéreas têm planos de ação caso seus passageiros sejam diagnosticados com Covid-19 © Witthaya Prasongsin / Getty Images

As companhias aéreas têm planos de ação para caso alguém adoeça a bordo e apresente sintomas similares aos da Covid-19 – que o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos destacou como sendo febre, tosse e dificuldade para respirar. Esses planos foram criados em conjunto com autoridades como o CDC e a Organização Mundial da Saúde (OMS).

No fim da quarta-feira, 11 de março, um passageiro de um voo da JetBlue indo do aeroporto JFK, em Nova York, para Palm Beach, na Flórida, soube, em pleno voo, que havia sido infectado com a Covid-19. O chocante é que esse homem, de acordo com o New York Post, embarcou no avião mesmo esperando os resultados do teste que fizera.

Com o aumento dos casos de pessoas infectadas por Covid-19 pelo mundo, presenciamos situações em que passageiros descobriram estar com a doença durante a viagem, e, consequentemente, outros passageiros podem ter sido infectados. Então, o que acontece se, embora não seja culpa sua, alguém no mesmo voo que você esteja com Covid-19?

As aeronaves e os aeroportos possuem planos de ação

Se alguém apresentar sintomas no avião ou se descobrir que está infectado e avisar à equipe, as recomendações do CDC de procedimento são:

— Minimize o contato entre os passageiros, a equipe de cabine e a pessoa doente. Se possível, separe a pessoa doente dos demais (a uma distância ideal de 2 metros) e designe um membro da equipe para servi-la. Se disponível, ofereça uma máscara ao enfermo, caso ele tolere o uso dela.

— Caso não tenha uma máscara disponível, ou caso o enfermo não consiga utilizá-la, solicite a ele que cubra boca e nariz com lenço de papel quando tossir ou espirrar.

O fato de muitos voos estarem agora relativamente vazios facilita esse isolamento dentro da aeronave. Ao vivenciar uma situação do tipo dentro de um avião, saiba que haverá um momento de agitação até a equipe de cabine colocar em ação os planos da companhia aérea. Tente ficar calmo: esse é uma ocasião estressante para todos.

Quando aterrissar, provavelmente você permanecerá no avião por um bom tempo – talvez algumas horas –, enquanto autoridades locais colocam em prática seus procedimentos para manter todos em segurança.

 

Se estiver no mesmo voo que alguém infectado com Covid-19, você passará um bom tempo no terminal © marrio31 / Getty Images

O que acontecerá a partir daí depende de onde o avião aterrissou. É provável que você seja orientado a fazer um autoisolamento ou seja levado ao isolamento pelas autoridades locais por 14 dias, dado o período de incubação do novo coronavírus. Nesse ponto, você poderá ou não ser testado para o vírus.

Você provavelmente receberá uma série de instruções a respeito de como agir em seguida, incluindo se você mesmo começar a apresentar sintomas.

O avião será então cuidadosamente limpo e desinfetado mediante as diretrizes de limpeza reforçadas pela CDC.

Corro algum risco caso alguém no meu avião esteja com Covid-19?

No geral, quanto mais perto você estiver de qualquer um com o vírus, maior o risco de contaminação. As autoridades de controle da doença afirmam que o coronavírus SARS-CoV2, como a grande maioria dos vírus, espalha de pessoa para pessoa, especialmente por meio de gotículas quando alguém fala, tosse ou espirra, que são absorvidas pelo nariz, pela boca ou pelos olhos – as membranas mucosas.

É por esse motivo que as orientações frisam a distância de isolamento de dois metros: é a distância média que a gotícula pode alcançar na maioria dos casos. Isso inclui as gotículas invisíveis que caem na sua mão e que você então as leva ao nariz, à boca ou aos olhos ao esfregá-los. Por outro lado, o ar no avião é muito mais seco que o em terra, e isso é ruim para o vírus, que se torna menos infeccioso conforme seca – o que é bom para as pessoas.

 

O grau de risco de contágio depende de quão perto se está de uma pessoa infectada © SolStock / Getty Images

Como pode imaginar, o grau de risco de contágio depende de quanto tempo você passou, a determinada distância, com uma pessoa infectada. Naturalmente, é pouco provável que o doente tenha ficado o voo inteiro sentado, a menos que a viagem tenha sido muito curta, então o risco ainda existe para a maior parte dos passageiros ali presentes.

Desse modo, é muito importante lavar as mãos e evitar tocar o rosto, especialmente em transportes públicos fechados, como aviões.

Se alguém apresentar sintomas da Covid-19 após a chegada — há planos de ação para isso também

Caso alguém adoeça com a Covid-19 e tenha viajado de avião no período de encubação do vírus, as autoridades de saúde rastrearão quem teve contato com essa pessoa, incluindo todos os passageiros do voo.

As autoridades decidirão se será necessário que as pessoas do voo sejam testadas, e isso dependerá de diversos fatores, incluindo quão perto elas estavam sentadas do indivíduo infectado, se estão mostrando sintomas, e assim por diante. É importante frisar mais uma vez que essas atitudes vão variar de país para país e até mesmo entre as autoridades locais, dependendo do nível da epidemia naquela região.

Espere receber instruções para se autoisolar em casa e siga todas as orientações das autoridades de saúde caso você desenvolva os sintomas da Covid-19 — o que provavelmente envolverá contatá-las primeiro por meio de telefone, em vez de ir diretamente ao hospital, seu médico ou a outra unidade médica.

Este artigo foi publicado em Março de 2020 e foi atualizado em Março de 2020.