Dicas e artigos

Aviões, trens, automóveis: como sobreviver a uma longa viagem

Sobrevivendo a longas viagens

Kate Armstrong

Você está exausto, desorientado e precisando urgentemente de um pouco de exercício. A sua garganta está seca. Você está cheirando a vestiário de clube e oscila entre se sentir inchado e faminto. Você está até um pouco deprê. Bem-vindo aos efeitos pós-viagem longa.

Seja no avião, trem ou automóvel, longas viagens podem ser muito divertidas. Mas também custam um preço. Como australiano, conheço bem viagens de longa distância. Quando pequeno, era arrastado com frequência em viagens de carro interestaduais de 10 horas, para visitar parentes.

Essas tediosas “viagens retrôs” aconteciam bem antes da era dos iPods, iPhones e entretenimento de primeira. Em vez de tudo isso, nos divertíamos contando postes e brincando de jogo do alfabeto. (Dez horas contando postes podem gerar um trauma de jogos para o resto da vida, preciso dizer; “já chegamos?” era probido.)

Surpreendentemente, ainda gosto muito de longas jornadas – de dois dias em ônibus cheios de frangos na Bolívia a três dias de trem atravessando os Estados Unidos, além de voos regulares entre Austrália e Europa.

Na verdade, eu nunca aprimorei a arte de viajar a longas distâncias. Mas coletei algumas boas dicas no caminho.

 

Viagens em geral

- Beba muita água e leve fruta seca e lanchinhos saudáveis – esqueça a junkfood. (Ok, isso é óbvio, mas pensar nisso e fazer isso são coisas bem diferentes!)

- Sempre leve um rolo de papel higiênico.

Viagem de automóvel

- Faça uma pausa a cada hora.

- Não exagere no entusiasmo. Se estiver escurecendo, ou se estiver cansado, pare para descansar.

- Não monopolize o volante – divida a tarefa.

Viagem de trem

- Acorde a cada hora.

- Caminhe um pouco a cada hora.

- Converse com os vizinhos – as viagens de trem na Índia estão entre as mais desafiadoras, mas também mais agradáveis.

- Leve um saronge e uma máscara para dormir – ideais para se aquecer e bloquear a luz quando você quiser dormir.

- Informe-se sobre as refeições – leve comida com você (China) ou compre de vendedores pela janela do trem (Índia).

Viagem de avião

- Escolha o seu assento. O site seatguru.com ajuda você a encontrar os melhores lugares.

- Prefira um assento na janela (se preferir dormir) ou no corredor (se preferir dar voltinhas). Chegue cedo ao aeroporto se não conseguir fazer a reserva antes.

- Leve um travesseiro extra – um que possa ser jogado fora depois. É mais confortável do que aquelas pequenas espuminhas oferecidas pela companhia aérea, e é útil para dar apoio ao pescoço e à lombar. Uma escova de dente e uma pasta são bem-vindos também.

- Não brigue com o sono – e não tente ficar acordado só para ver o fim do filme.

- Evite álcool. Sim, é divertido – especialmente quando é de graça – mas você pode se sentir muito mal depois.

- Evite pílulas para dormir. É preciso se movimentar (lembre-se da trombose).

- Use roupas confortáveis – mas socialmente aceitáveis. Uma amiga minha, atendente de bordo, adora a sua “roupa confortável” (ãhn... um macacão tipo TellyTubby).

Desculpas do autor: essas são só dicas básicas para viagens de longa distância.

Mais sobre o jetlag

O jetlag, ou aquele desconforto decorrente da troca de fuso-horário, é a parte menos divertida de viajar. Mudar de direção (especialmente do oeste ao leste) e de zonas de horário, acredita-se, dessincronizam os ritmos circadianos, também conhecidos como relógio biológico. Infelizmente, há poucas curas para isso, embora alguns defendam a melatonina: em pílula, dizem que esse hormônio ajuda a ajustar a seu ciclo de sono.

Mas não se estresse com o jetlag; o seu corpo vai acabar se ajustando. É bom separar um ou dois dias de recuperação no planejamento da sua viagem.

 

Este artigo foi publicado em Janeiro de 2014 e foi atualizado em Novembro de 2014.