Marselha

Todas em Marselha

‹ Anterior

de 2

  1. 72% Pétanque

    Sabonetes com essência de azeite, alguns com chocolate e folhas de tomate, e conservas de dar água na boca enchem o 72% Pétanque.

  2. Au Petit Nice

    (metrô Notre-Dame du Mont–Cours Julien) Barato e animado: cervejas a €2 em um café com disputadas mesas ao ar livre e público jovem e diversificado. (Obs: não é o hotel de mesmo nome.)

  3. Café Populaire

    (pratos principais €14-16; metrô Estrangin–Préfecture) Mesas e cadeiras antigas, livros antigos nas prateleiras e uma bela coleção de garrafas de refrigerante dão ar retrô a esse comptoir (balcão) em estilo jazz anos 1950. Pegue um banco no bar de zinco ou acomode-se em uma mesa com vista para a fabulosa cozinha aberta, onde são preparados especiais simples do dia como gambas à la plancha (pitus fritos servidos na chapa) ou salada de beterraba e coentro.

  4. Casa Honoré

    Há um ar de Los Angeles nessa maison d’hôte com quatro quartos, construída em torno de um pátio central com piscina e sombreado por bananeiras. O estilo reflete o amor da proprietária por design contemporâneo (ela tem uma loja no mesmo quarteirão), com o uso de elementos extravagantes como vime preto e um ocasional crânio de vaca, unidos em
    um pacote sensual. Uma queixa: alguns banheiros são isolados por cortinas em vez de portas.

  5. Château d’If

    (adulto/criança €5/franca; ) Imortalizado no clássico de 1844 de Alexandre Dumas O Conde de Monte Cristo, esse forte do século 16 transformado em prisão fica na ilha Île d’If, de 30km², a 3,5km do Vieux Port. Prisioneiros políticos eram aliencarcerados, além de centenas de protestantes, o herói revolucionário Mirabeau e os communards de 1871.

  6. Croisières Marseille Calanques

    Passeios de 2 horas saindo do Vieux Port que passam por seis calanques (adulto/criança/família €22/7/68); passeios
    de 3 horas até Cassis que passam por 12 calanques (ida e volta, adulto/criança/família €28/21/85); e passeios de 1h e 30min pela Baie de Marseille (adulto €10).

  7. Espace Julien

    (metrô Notre-Dame du Mont–Cours Julien) Rock, teatro alternativo, reggae, hip hop, afro groove e outras atrações modernas; consulte a programação no site.

  8. Hôtel La Résidence du Vieux Port

    (metrô Vieux Port) O hotel com a melhor vista de Marselha passou por reformas em 2010 e agora tem estilo que é um interessante misto de Os Jetsons e Mondrian, com móveis transados e cores primárias vibrantes. Todos os quartos são atraentes, e aqueles voltados para o porto têm sacada com vista magnífica do porto velho e da Notre-Dame.

  9. La Maison du Pastis

    No fundo de Le Panier, bem no Vieux Port, fica a La Maison du Pastis, onde você pode experimentar mais de 90 tipos de aperitivos com anis.

  10. La Passarelle

    (pratos principais €17; metrô Vieux Port) As mesas e cadeiras retrô com guarda-sóis verdes ficam dispostas em um terraço com canteiros de verduras e morangos. Tudo que cresce no jardim murado acaba no cardápio predominantemente orgânico de Philippe e Patricia.

  11. Le Café des Épices

    (menu de almoço/jantar 3 pratos €25/40; metrô Vieux Port) Um dos melhores chefs jovens de Marselha, Arnaud de Grammont, infunde a comida com uma panóplia de sabores...imagine espaguete de tinta de lula com gergelim e vieiras, ou batatas assadas com toques de coentro e frutas cítricas, cobertas com o pescado do dia. A apresentação é impecável,
    a decoração, divertida, os funcionários, simpáticos e o lugar enche sempre. Não subestime as sobremesas. O almoço de sábado não poderia ser mais agradável, no terraço voltado para uma praça cercada de oliveiras. Essencial reservar.

  12. Le Grand Tour

    (adulto/criança €18/9) Visite as principais atrações e museus da cidade nesse ônibus aberto com embarque e desembarque livre. Os bilhetes são vendidos no escritório de turismo ou a bordo e incluem um audioguia em cinco idiomas.

  13. Le Panier

    Do Vieux Port, caminhe até esse bairro cheio de história apelidado de “Montmartre de Marselha”, tanto pelas ladeiras quanto pelo ambiente artístico. Na grega Massilia, era o local da agora (mercado), de onde vem o nome, que significa “a cesta”. Durante a Segunda Guerra, o bairro foi bombardeado e reconstruído. Hoje é uma salada de travessas que escondem lojas de artesanato, ateliês e casas com terraço. O destaque são o Centre de la Vieille Charité (2 rue de la Charité , 2e; metrô Joliette) e a vizinha Cathédrale de la Major, de guarda entre os portos velho e novo com sua fachada listrada de pedra de Cassis e mármore florentino verde.

  14. L’Intermédiaire

    (metrô Notre-Dame du Mont–Cours Julien) Esse lugar alternativo com paredes grafitadas é um dos melhores para bandas e DJs na cidade.

  15. Palais de Longchamp

    (grátis) O Palais de Longchamp e suas espetaculares fontes foram construídos nos anos 1860, em parte para disfarçar a torre de caixa d’água no fim de um aqueduto que vem do rio Durance. A ala norte abriga o mais antigo museu de
    Marselha, o Musée des Beaux-Arts, em reforma na época da pesquisa e com reabertura prevista para 2013. O parque arborizado é um dos poucos espaços verdes no centro, popular entre as famílias locais.