Oceania

Todas em Oceania

  1. Little Italy Hotel

    Dois andares de bons dormitórios ocupam o espaço sobre o restaurante Little Italy na Rod. Vuna, a oeste do Palace. Os quartos têm varanda particular, ar condicionado, cafeteira, refrigerador e acesso à internet. Tem até um rádio no chuveiro!

    Nossos autores independentes visitaram o Little Italy Hotel e o selecionaram como um dos nossos hotéis recomendados em Nuku'alofa.

  2. Livraria da UPNG

    Infelizmente, há somente uma livraria decente em Port Moresby: a livraria da UPNG, que mesmo assim vende principalmente material didático e textos acadêmicos. Os melhores hotéis têm alguns livros com preços altos e há algumas lojas duty-free no aeroporto (depois da Imigração) que vendem alguns livros bacanas sobre PNG. Não se esqueça de levar sua própria leitura porque nem mesmo um romance ruim de aeroporto pode ser encontrado em Port Moresby.

  3. Mercado

    O mercado a céu aberto é interessante para uma caminhada. Você encontrará pilhas de batatas e verduras frondosas, assim como tomates, pimenta-da-guiné e abacates. São vendidas bolsas bilum e chapéus tradicionais, assim como rolos de barbantes supercolorido e fios usados na fabricação das bilum. Atenção aos batedores de carteira.

  4. Monte Pulemelei

    A maior estrutura antiga da Polinésia é o intrigante e piramidal Monte Pulemelei, assinalado em alguns mapas como Antigo Monte Tia Seu. Ele mede 61m por 50m na base e chega a 12m de altura. É um lugar cheio de vida, com vistas do cume tanto para o oceano quanto para a selva densa. Em dias ensolarados, bandos coloridos de borboletas e pássaros voam por lá. A área em volta deve ser coberta de casas e outros achados arqueológicos, mas, por enquanto, tudo é escondido pela floresta.

    Infelizmente, é muito difícil visitar o Monte Pulemelei porque ele se localiza em território disputado. Assim, não tem sinalização nem manutenção – o caminho para o local e para o monte é invadido pelo mato. Os guias não gostam de levar visitantes ao lugar por receio de que alguém envolvido na disputa da terra possa extorquir uma taxa exorbitante pela visita ou, pior, expulsá-los de lá.

    Você pode tentar ir (nós conseguimos). Para chegar lá, siga pela estrada flanqueada por postes de ferro que começa cerca de 300m além da ponte de vigas de ferro do outro lado do rio saindo das Cataratas Afu-A-Au Falls (não tem sinalização).Em pouco tempo você chegará a uma parte rasa de pedras em um riacho – não vale a pena arriscar, a menos que tenha um bom veículo de tração nas quatro rodas. Estacione e ande 2km planos, mas lentos, por um caminho de vegetação alta (escolha sapatos bons, ou seus pés ficarão destruídos pela vegetação espinhosa) para o monte; vire à esquerda se tiver alguma dúvida. Pouco depois de atravessar uma galeria de água, você verá o antigo estacionamento marcando o começo da trilha. A partir dali são 150m de caminhada ao longo de um caminho cheio de samambaias e morro acima. É um pouco difícil ver que você está no monte até chegar realmente ao topo e a um caminho de flores azuis e cor de rosa.

    Como os dois estacionamentos são isolados, não deixe nada de valor no carro.

  5. Mt Hagen Missionary Home

    A melhor escolha para viajantes com orçamento apertado. Em cada quarto dormem quatro pessoas, duas em cada beliche, e o quarto tem banheiro privativo. É amigável, seguro, muito limpo e bem localizado. Por mais K22 você ganha um jantar adorável. O transporte para o Mount Hagen Show pode ser combinado por K30 por pessoa.

  6. Muri Beach Hideaway

    Estes chalés com telhado de palha parecem essencialmente polinésios por fora, mas não se deixe enganar – o interior das villas tem acabamento em belíssimo estilo contemporâneo, com piso de madeira brilhante, paredes revestidas, iluminação suave e enormes camas king size.

    São dois tipos de chalés – as villas “de frente para a praia” (embora só uma seja realmente na areia) e os “chalés lótus luxo” (acesso por uma pequena ponte particular) que ficam afastados da praia e atrás de um jardim gramado com vista para as montanhas centrais no interior. Os móveis são realmente de primeira pelo preço (muitos materiais locais, colchas de tons tropicais e obras de arte do Sul do Pacífico),e todos os pequenos toques estão lá para tornar sua estadia muito especial. Redes na praia, calçados para andar nos recifes e caiaques são cortesia, e tem uma piscina (muito) pequena. O único ponto negativo é a localização meio apertada – os chalés da beira da praia são colados, então, se não estiver desesperado para ouvir o barulho do mar do seu solário, pense em se hospedar um pouco mais para o interior, no elegante chalé da encosta.

    Nossos autores independentes visitaram o Muri Beach Hideaway e o selecionaram como um dos nossos hotéis recomendados nos arredores das ilhas.

  7. Museu Nacional

    Todas as peças expostas no museu são cobertas por uma fina camada de poeira. Mas você pode facilmente passar uma hora ou mais perambulando pelas exibições para aprender tudo sobre a geografia, fauna, cultura, etnografia e história de Papua Nova Guiné. Há exemplos incríveis de máscaras, panos do Tapa, escudos e totens, uma magnífica canoa de forquilha decorada com conchas e búzios e uma explicação de como são feitas as bolsas bilum. Não é permitido fotografar. A pequena loja da entrada vende vasilhas entalhadas, cajados e bolsas bilum.

  8. Mustang Sally's

    Bem ao lado do Shady Rest Hotel, o Mustang oferece uma experiência mais genuína de Papua Nova Guiné – crua e espirituosa. Se você não gosta de música alta, dos estranhos tacos de bilhar pendurados ou mulheres da noite, melhor ficar longe.

  9. Observação de pássaros

    A bacia e a fenda de Tari são pontos de observação de pássaros renomados no mundo inteiro e graças à altitude, que varia entre 1700m a 2800m, há uma grande diversidade de espécies. Tari é especialmente cheio de aves-do-paraíso, entre os quais o rei da saxônia e a ave azul do paraíso. Sir David Attenborough visitou a área durante a produção de seu documentário, “Attenborough No Paraíso”, o que tornou o lugar mais conhecido entre observadores.

    O melhor dos pássaros pode ser visto entre julho e outubro, quando a plumagem atinge seu ponto máximo.

  10. Omarakana

    Para os locais, andar para o norte a partir de Losuia é andar para o interior. Essa área abriga a maioria das estradas e vilas da ilha. Omarakana, mais ou menos no meio do caminho entre Losuia e Kaibola, é onde mora o chefe supremo da ilha. Você sabe que está no lugar certo graças à enorme, complexa e colorida casa tribal típica, que produz batata-doce, e aos poucos carros parados do lado de fora do bangalô do chefe, em estilo ocidental, mas construído sobre pilares.

    Ele pode ser encontrado sentado em uma cadeira debaixo de sua casa, cercado dos homens da tribo. O chefe supremo preside as tradições orais da ilha e mantém seu poder político e econômico de maneira mágica e restrita. Ele é também quem supervisiona o importante festival da batata-doce e os rituais kula. Em sinal de respeito, mantenha a cabeça mais baixa do que a dele e considere levar nozes de bétele ou cigarros como presente.

  11. Parc Provincial de la Rivière Bleue

    O espaço e protegido Parque Blue River é uma reserva para muitas espécies de aves, inclusive o cagu. A paisagem é uma mistura da típica vegetação de arbustos do extremo sul e densa floresta tropical, e inclui gigantescas árvores kauri de pelo menos mil anos, com troncos de até 2.7m de diâmetro. Siga pela RP3 saindo de La Coulée para chegar ao extremo oeste da represa hidroelétrica, Lac de Yaté , por onde você entra no lindo Parc Provincial de la Rivière Bleue.

    Há um centro de informação para visitantes perto do portão de entrada, e lá tem boas exibições em inglês e francês da flora e da fauna do parque. Também na entrada há mapas gratuitos que traçam os vários caminhos do parque. Um ônibus sai quase de hora em hora (7h30 a 15h15, 400 CFP) de Port Perignon para Vieux Refuge.

    Uma das características famosas do parque é uma floresta kauri submersa, com troncos brotando como fantasmas da água azul e transparente. Reme ao luar para se tornar parte desse cenário.

    A oeste e noroeste do parque estão Rivière Blanche e Rivière Bleue, principais afluentes do Lac de Yaté. Você pode dirigir ao longo das margens do Rivière Blanche até o fim da estrada, andar ou pedalar ao longo da margem do Rivière Bleue, ou subir o rio de caiaque.

  12. Passeios guiados

    Nos últimos anos, Kiunga se tornou um destino popular para observadores de pássaros Isso de deve, principalmente, a Samuel Kepuknai, um modesto mas apaixonado naturalista especializado em encontrar os pássaros da região. Contate-o através da Kiunga Nature Tours para agendar passeios pelo rio Fly ou viagens a partir de Tabubil.

  13. PNG Arts

    A já estabelecida PNG Arts possui uma grande variedade de produtos de todas as partes do país. Os preços são razoáveis. Aceitam cartão de crédito e o frete pode ser acertado junto com a documentação.

  14. Ralum Country Club

    Uma mistura de expatriados e locais vai a esse lugar despreocupado com varanda com vista para o mar. Além de bebidas geladas (e jogo de dardos!), o Ralum oferece almoço a preços justos e pratos especiais no jantar (prato principal entre K25 e K30). Para uma espiada na vida local, não perca o Joker Draw, toda sexta-feira à noite.

  15. Ron's

    Um bar de kava que é sempre popular. O preço atual é de cerca de VT50 para uma “concha” pequena e cerca de VT100 para uma maior.