Riga

Riga

Conheça Riga

“A Paris do norte”, “a segunda cidade que nunca dorme”, todos querem qualificar a capital da Letônia, mas a majestosa Riga fala por si. Para começar, a cidade tem o maior e mais impressionante acervo de arquitetura art nouveau da Europa. Gárgulas assustadoras e deusas adornam mais de 750 prédios ao longo das majestosas avenidas que irradiam da castelo da cidade. O coração da cidade – a Velha Riga – é um reino de contos de fadas de ruas sinuosas embaladas ao som do estalar de saltos, de conversas de bar e das batidas abafadas de discotecas de porão. Embora alguns letões lamentem o fato de serem uma minoria étnica na sua própria capital, outros logo dizem que Riga nunca foi uma cidade “letã”. Fundada em 1201 pelo bispo alemão Albert von Buxhoevden (repita rápido três vezes!) como ponta de lança para a cruzada contra os “pagãos” do norte, Riga era um bastião dos Cavaleiros
da Espada, membro da Liga Hanseática e importante entrocamento comercial entre a Rússia e o Ocidente. Quando a Suécia tomou a cidade em 1621, ela se tornou a maior do Império Sueco (maior até mesmo que Estocolmo). Logo os russos chegaram e, em meados da década de 1860, Riga se tornou o maior porto madeireiro do mundo. O século 20 testemunhou o surgimento de cafés e bares que foram bombardeados durante a Primeira Guerra Mundial e proibidos pelos nazistas durante a Segunda Guerra. De alguma forma, o sabor internacional indelével de Riga conseguiu ressurgir dos escombros; mesmo quando fazia parte da URSS a cidade era conhecida pelo liberalismo e a vida cultural agitada.

Última atualização: 08 de Dezembro de 2014