Rio de JaneiroDicas e artigos

Ilha Grande: um paraíso de ilha tropical na Costa Verde do Brasil

As praias paradisíacas da Ilha Grande esperam por você

por Gregor Clark

Imagine só: uma ilha escondida em 193 quilômetros quadrados de floresta tropical, repleta de praias espetaculares, atravessada por trilhas para caminhada e desprovida de veículos motorizados. Bem-vindo à Ilha Grande! Para amantes da natureza e qualquer um que esteja procurando um feriado tranquilo na praia, essa ampla ilha ao longo da montanhosa Costa Verde do Rio de Janeiro é um dos maiores tesouros do Brasil.

A localização isolada de Ilha Grande, aliada a sua diversificada história como leprosário e prisão, manteve o progresso distante durante séculos. Então, em 1971, a maior parte da ilha foi oficialmente preservada como parque estadual. Hoje, a habitação humana continua limitada a um grupo de aldeias de pescadores e o porto principal de Vila do Abraão. Lugar aonde se chega facilmente em quatro horas do Rio de Janeiro, ela se tornou um dos destinos de ecoturismo mais populares do Brasil, apropriada para tudo – de uma pausa para pernoite a uma caminhada aventureira de duas semanas.

O charme da Ilha Grande
Foto por: WalterBustamante/ThinkStock

 

 

Vila do Abraão: point tranquilo da ilha

Quem acaba de chegar desembarca na paradisíaca vida insular da pavimentada Vila do Abraão (população 3000), o maior povoado de Ilha Grande. Barcos numerosos (barcos a motor, escunas e balsas) saem diariamente dos portos continentais de Angra dos Reis, Mangaratiba e Conceição de Jacareí – cada um dura uma viagem de ônibus de duas a três horas do centro do Rio.

Abraão é uma cidade compacta de ruas não pavimentadas, com pousadas, restaurantes e bares suficientes para atender a qualquer necessidade dos turistas. Viajantes que não querem gastar muito podem escolher entre uma infinidade de hostels, do Che Lagarto à beira-mar, onde ondas quebram no deque frontal, ao Biergarten Hostel localizado no centro, a alguns passos da vida noturna da cidade, e Sitio Green, cuja localização na mata em uma subida a 10 minutos das docas permite ver macacos saltitantes. Outras acomodações variam de pousadas familiares modestas a instalações sofisticadas de proprietários estrangeiros, como o Aratinga Inn.

Barco chegando a um resort da Vila do Abraão
Foto por: shakzu/ThinkStock

 

A vida na cidade gira em torno do litoral próximo às docas, com a pequenina igreja de Abraão servindo como ponto de ancoragem social. Vendedores ambulantes empurram carrinhos carregados de doces, enquanto turistas agitam os dedos na areia em resto-bares ribeirinhos como Lua e Mar – saboreando cervejas geladas e caipirinhas ou dividindo vasilhas de cerâmica fumegantes de moqueca.

À parte o rebuliço turístico, Abraão conserva uma vida própria discreta e agradável. Caminhe alguns quarteirões longe dos holofotes e encontrará animadas partidas de futebol no campo local, grupos de fiéis cantando na igreja Assembleia de Deus ou crianças a caminho de casa saindo da escola e pulando no lago natural Poção.

 

Praias intocadas a cada curva

A belíssima praia Lopes Mendes
Foto por: 
samirabdala/ThinkStock

 

Quando se trata de praias de cartão-postal, poucos lugares na terra proporcionam tamanha abundância de riquezas. Há mais de 100 praias identificadas na ilha, todas acessíveis somente a pé ou de barco. A mais famosa é a Praia Lopes Mendes, uma meia-lua de 3km de areia branca fina respaldada por palmeiras e rochas esculpidas pelas ondas. Voltada para o Atlântico, é perfeita para surfar, com aluguel de pranchas disponível no local.

Para experimentar outros lugares famosos de natação e esportes aquáticos de Ilha Grande, ande pela trilha curta a leste de Abraão até as bonitas baías de Júlia, Crena e Abraãozinho, popular entre praticantes de caiaque e stand-up, ou suba a bordo de um passeio de barco pela ilha. Passeios de um dia inteiro param em sete ou oito praias, incluindo Caxadaço, com seus afloramentos rochosos gigantes; Parnaioca, uma longa extensão de areia salpicada de casas de pescadores locais; Aventureiro, na reserva biológica da Praia do Sul na parte mais remota a sudoeste da ilha; e as lagoas cristalinas azul-esverdeadas Lagoa Azul e Lagoa Verde.

 

O paraíso dos mochileiros

Quem gosta de andar têm um grande leque de opções em Ilha Grande. Mais de 100km de trilhas sinalizadas rodeiam a costa e cruzam pelo interior, permitindo aos verdadeiros mochileiros passar uma ou duas semanas explorando os cantos e recantos da ilha. Há mapas da trilha perto das docas em Abraão e também estão disponíveis em lojas na cidade. Por onde quer que você ande, vai encontrar praias intocadas com barracas vendendo bebidas geladas e frutos do mar frescos, entremeadas por trechos espessos de Mata Atlântica (floresta tropical Atlântica) povoados por micos-leões tagarelas, papagaios, aves e mamíferos como a ardilosa capivara.

Algumas das melhores caminhadas começam de Abraão, incluindo a volta de uma hora do Circuito de Abraão que leva a praias antigas, um aqueduto do século 19, um lago à sombra de árvores e as ruínas da antiga prisão de Lazareto (demolida em 1962 por decreto governamental e desmoronando devagar na selva). Uma alternativa é fazer a clássica trilha de 6km de Abraão até a Praia Lopes Mendes, subindo uma montanha alta com vistas espetaculares antes de descer até as praias de Palmas, Mangues, Pouso e a própria Lopes Mendes; mochileiros podem pegar uma trilha só de ida, passar um dia na praia e pular em um barco na volta.

Ruínas da famosa antiga prisão e hospital da Ilha Grande
Foto por: GuilhermeAmbrosio/ThinkStock

 

Outro clássico de Ilha Grande é a escalada de 6km do Pico do Papagaio (982m), o fotogênico pico em formato de papagaio no centro da ilha. Ponha uma lanterna na cabeça para essa subida guiada durante a madrugada, chegando ao topo bem na hora para ver o sol nascer na selva, acompanhado de um coro matinal de bugios.

 

Indo a lugares bem diferentes

A vida em Abraão já é bem livre de estresse, mas, se quer realmente ir a lugares diferentes, Ilha Grande oferece várias opções mais isoladas. A uma caminhada de 25 minutos de Abraão fica o simples Jungle Lodge, empoleirado em uma costa íngreme e alta cercada de floresta, com vistas do porto de Abraão de cair o queixo. Para uma experiência mais confortável, pegue a trilha de 25 minutos ou o passeio de barco de cinco minutos de Abraão a Asalem, um refúgio artístico à beira-mar de propriedade de um fotógrafo aclamado internacionalmente.

Vista da praia do Pouso e da vida selvagem do lugar
Foto por: pdeamello/ThinkStock

 

Se for ainda mais longe, você encontrará acomodações ainda mais distantes, com acesso por barco particular. Na parte noroeste da ilha, a tranquila Pousada Lagamar abriga a linda Praia Vermelha – perfeita para relaxar em redes, praticar snorkel e degustar frutos do mar recém-capturados. Na Praia do Pouso próximo à parte oposta da ilha (sudeste) fica o Atlântica Jungle Lodge, um refúgio de quatro quartos a uma caminhada curta da maravilhosa Praia Lopes Mendes, com cadeiras de praia, guarda-sóis, caiaques e equipamentos para snorkel fornecidos gratuitamente pela pousada. Passe uma noite aqui e terá a praia toda para você depois que os viajantes forem embora.

 

Este artigo foi publicado em Fevereiro de 2016 e foi atualizado em Fevereiro de 2016.

Rio de Janeiro