Vilna

Museu das Vítimas de Genocídio

Resenha da Lonely Planet

(Genocido Aukų Muziejus; adulto/criança 6/3Lt, audioguia 10Lt) Mais conhecido como “Museu da KGB”, esse
prédio foi sede da KGB e prisão de 1940 a 1991. As exposições lidam com a opressão soviética do povo lituano, o movimento de resistência pós-Segunda Guerra (os “Irmãos da Floresta”) e a deportação em massa para a Sibéria. Entre os objetos pessoais de deportados estão um rosário feito de pão e um punhado de terra da Lituânia em um saco.
O nome do museu é um pouco enganador, já que há pouca menção ao fato de que o lugar também foi sede da Gestapo entre 1941 e 1944 ou ao papel da Gestapo no genocídio de grande parte da população judaica (com a ajuda de colaboracionistas locais). A recente adição de uma pequena exposição do Holocausto em uma das celas é bem-vinda. No subsolo, observe a cela de água onde prisioneiros tinham que se equilibrar sobre um pequeno banco de metal acima de água gelada (às vezes por dias), a cela acolchoada e a câmara de execução (usada entre 1944 e os anos 1960).